Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

Um Agente de Segurança foi morto a cada 32 horas em 2012

Polícia e Bandido - Um Asno
Um policial é assassinado a cada 32 horas no país, revela levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo nas secretarias estaduais de Segurança Pública. Segundo a informação, baseada em dados oficiais, ao menos 229 policiais civis e militares foram mortos neste ano no Brasil, sendo que a maioria deles, 183 (79%), estava de folga. O número pode ser ainda maior, uma vez que Rio de Janeiro e Distrito Federal não discriminam as causas das mortes de policiais fora do horário de expediente. O Maranhão não enviou dados. São Paulo acumula quase a metade das ocorrências, com 98 policiais mortos, sendo 88 PMs. E só 5 deles estavam trabalhando. O Estado concentra 31% do efetivo de policiais civis e militares do país, mas responde por 43% das mortes desses profissionais em 2012. Pará e Bahia aparecem empatados em segundo, cada um com 16 policiais mortos. Para Camila Dias, do Núcleo de Estudos da Violência da USP, o número é elevado. “Apenas para comparação, no ano de 2010 foram assassinados 56 policiais nos EUA.” Segundo ela, a função desempenhada pelos policiais está relacionada ao alto número de mortes, mas em São Paulo há uma ação orquestrada de grupos criminosos, que leva ao confronto direto com a Polícia Militar. Os PMs foram as principais vítimas, no Brasil e em São Paulo: 201, ante 28 civis.
Policiais Assassinados no País - Um Asno

VULNERÁVEL
Para a pesquisadora da USP, a maioria dos policiais é morta durante a folga porque está mais vulnerável e a identificação dos atiradores é difícil. Guaracy Mingardi, ex-subsecretário nacional de Segurança Pública, diz que os dados revelam uma "caça" a policiais. Segundo ele, trata-se de um fenômeno recente, concentrado principalmente em São Paulo numa "guerra não declarada" entre PMs e chefes da facção criminosa PCC. Cabe à polícia, diz Mingardi, identificar os mandantes e a motivação dos crimes para evitar uma matança após a morte de um policial. Muitos dos policiais morrem em atividades paralelas à da corporação, no chamado bico. "A minha responsabilidade é com o policial em serviço", diz o o secretário de Defesa Social (responsável pela segurança pública) de Pernambuco, Wilsom Sales Damásio, onde morreram 14 policiais neste ano.
Em vários Estados, os policiais reclamam de falta de assistência. "Já houve o caso de um policial ameaçado que foi viver na própria associação até achar uma nova casa", afirma Flavio de Oliveira, presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do Espírito Santo.
Minha Vez...

O ano passado terminou com 130 policiais baleados no Estado do Rio de Janeiro. Destes, 43 estavam de serviço, 10 eram policiais militares reformados e 1 da reserva. No total são 109 PMs, 19 policiais civis, 1 policial federal e 1 agente da PRF baleados, sendo que 61 morreram. Em 2010 foram 184 policiais baleados no Estado do Rio de Janeiro. A estatística fechou com 85 PMs mortos11 PCs mortos, 1 PF morto, 76 PMs baleados, 9 PCs baleados, 1 PF baleado e 1 PRF baleado. Dos 182 policiais, 75 estavam de serviço. Doze eram PMs reformados e um era policial civil aposentado.
A insegurança hoje vivida pelos policiais militares de São Paulo já é experimentada no Rio de Janeiro há muito tempo. O número de policiais mortos no Estado do Rio de Janeiro, mesmo em 2012, é maior do que o número de policiais assassinados em São Paulo. Isso em números absolutos, porque a Polícia Militar do Estado de São Paulo tem o efetivo maior do que o dobro da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. No Estado de São Paulo são 93.986 PMs, quase 94 mil; no Estado do Rio de Janeiro, aproximadamente, 43.500 policiaisMas por que, em relação ao Estado do Rio de Janeiro, a verdade fica abafada? Por que o Instituto de Segurança Pública não demonstra o número, quantos policiais foram mortos no ano de 2012? Eles dizem assim: “Mas não foi em ato de serviço”. Que a verdade venha à tona para que a população possa julgar.

Agora comparem os dados do gráfico acima dividindo o número de policiais mortos pelo contingente da Polícia Militar em cada estado. Os dados referem-se ao primeiro semestre de 2012. Verão que a questão é bem mais profunda e revela uma campanha tendenciosa contra as medidas e o comando da PM de São Paulo. Interessa a mais alguém amplificar a desgraça já instalada?

Pará (PA)
Piso: R$ 2.128,80
Contingente: 15 mil

Roraima (RR)
Piso: R$ 801,40
Contingente: 1,5 mil 

Amazonas e Amapá (AM) (AP)
Piso: R$ 2.028,00
Contingente: 10,5 mil.

Acre (AC)
Piso: R$ 2.187,40
Contingente: 4 mil

Rondônia (RO)
Piso: R$ 2.400,00
Contingente: não divulgado pela PM

Mato Grosso (MT)
Piso: R$ 1.992,24
Contingente: 7.006 mil

Mato Grosso do Sul (MS)
Piso: R$ 1.950,00
Contingente: não divulgado pela PM

Goiás (GO)
Piso: R$ 3.095,00
Contingente: 12 mil 

Distrito Federal (DF)
Piso: R$ 4.700,00
Contingente: 14 mil

Tocantins (TO)
Piso: R$ 3.057,77
Contingente: 4.060 mil

Maranhão (MA)
Piso: R$ 2.028,00 
Contingente: 9,6 mil 

Piauí (PI)
Piso: R$ 1.704,00
Contingente: 6,2 mil 

Ceará (CE)
Piso: R$ 833,51
Contingente: 14 mil

Rio Grande do Norte (RN)
Piso: R$ 2.200,00 
Contingente: 10 mil 

Paraíba (PB)
Piso: R$ 2.032,00
Contingente: 9,5 mil 

Pernambuco (PE)
Piso: R$ 2.100,00
Contingente: 19,6 mil 

Alagoas (AL)
Piso: R$ 1.500,00
Contingente: 7,5 mil

Sergipe (SE)
Piso: R$ 2.576,44
Contingente: 7.174 mil

Bahia (BA)
Piso: R$ 2.200,00
Contingente: 32 mil 

Minas Gerais (MG)
Piso: R$ 2.245,00 
Contingente: 45 mil

Espírito Santo (ES)
Piso: R$ 2.421,76
Contingente: 8,5 mil 

Rio de Janeiro (RJ)
Piso: R$ 1.450,00
Contingente: 48 mil 

São Paulo (SP)
Piso: R$ 2.242,38, mais R$ 497,60 
de adicional de insalubridade
Contingente: 93.986 mil

Paraná (PR)
Piso: R$ 2.400,00
Contingente: 16 mil 

Santa Catarina (SC)
Piso: R$ 1.935,00
Contingente: 10 mil 

Rio Grande do Sul (RS)
Piso: R$ 1.375,71
Contingente: não divulgado pela PM

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.