Rádio Na Pior

Últimos Artigos
recent

Cassação do prefeito Pedro Bernabé ocorreu conforme havia anunciado desde o início. Roque não deveria comemorar!

Prefeito Cassado em Birigui - Um Asno
Desde março eu já havia escrito vários artigos afirmando que o prefeito Pedro Bernabé seria cassado. Não porque estava contra ele! Ao contrário, afirmei diversas vezes que o achei a melhor opção para o município. Porém, o processo era muito difícil de reverter e a arapuca em que se meteu foi muito bem arquitetada. Não tenho dúvidas de que seu calvário brotou dentro de sua própria coordenação de campanha e tenho convicção de que não foi Fabrício Albani o responsável pelo inferno que se formou. Birigui voltará às mãos de Paulo Bearari que é certeza, sairá como candidato para vaga em aberto em nosso próximo pleito. Com ele, certamente a vereadora Hebe Najas Camargo poderá pleitear a mesma oportunidade. O prefeito Pedro Bernabé ainda poderá recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), mas sua situação dificilmente será revertida.

Quem não deverá comemorar de forma alguma o resultado do processo que levou a cassação do prefeito é o deputado (derrotado) Roque Barbiere. Sua rejeição na cidade que andava por volta de 40% aumentou em muito depois que realizou a denúncia contra o prefeito. Para piorar, suas recentes atitudes não tem ajudado a aproximá-lo de seu eleitorado. Supostamente, Barbiere havia pedido para que a DIG (Delegacia de Investigações Gerais) fosse instalada em Penápolis que tem pouco mais da metade da população de Birigui. Isso levantou questionamentos quanto as razões de a sugestão não ser para a nossa cidade. Também é um dos signatários da absurda proposta de outro deputado na Assembleia Legislativa (e seu padrinho político), Campos Machado (PTB). Trata-se da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 01/2013, que proíbe promotores de Justiça de investigar por improbidade administrativa os próprios parlamentares paulistas, prefeitos, vereadores, secretários de Estado, juízes, promotores e membros do Tribunal de Contas. É uma versão da já repudiada no Congresso, PEC 37.

Essa proposta, inclusive, contava com o apoio de 97% dos deputados, mas aí vieram as manifestações e neguinho pulou fora rapidinho! Segundo Campos Machado, a aprovação da PEC era dada como certa na casa até o início das manifestações e a não aprovação da PEC 37. Antes do recesso, a liderança do PSDB (partido com maioria no Legislativo) fechou posição contrária à votação da PEC e foi acompanhada pelo PSOL, PSB, PPS, PMDB, PC do B, PV e PT. Restaram favoráveis à proposta o PTB, DEM, PDT, PSD e PSC. Mas tem mais absurdos! O promotor, Saad Mazloumco-autor de dois processos que tiraram de cada deputado o equivalente a R$ 47 mil por ano por causa do pagamento de auxílio-moradia, afirmou que a famigerada proposta de Campos Machado não passa de 'retaliação' contra o Ministério Público. Espia só!

Três semanas após o Tribunal de Justiça determinar o fim do pagamento de auxílio-moradia aos deputados estaduais, a Assembleia Legislativa paulista aumentou o valor da verba disponível para que os parlamentares distribuam entre os servidores de seus gabinetes – a chamada Gratificação Especial de Desempenho (GED). Até 1.º de junho, os parlamentares tinham até R$ 5.700 para distribuir mensalmente entre seus funcionários a título de GED, o que representa 1,5 cota da gratificação. Cada cota equivalia a R$ 3.800. A partir de agora, os parlamentares passaram a ter direito a 2,5 cotas, ou seja, a R$ 9.500O gasto com a medida, que pode chegar a R$ 4,3 milhões anuais, irá superar o dispêndio da Casa com o extinto auxílio-moradia, que era de R$ 2,5 milhões. A medida passou a valer no mês em que centenas de milhares de pessoas foram às ruas no país demonstrar sua insatisfação com os políticos.

No dia 22 de junho do ano passado, a Justiça deu parecer favorável a uma ação do promotor Mazloum e do colega Silvio Antonio Marques que cancelava o benefício anual de R$ 20.042,37 do chamado auxílio-paletó, utilizado sob a justificativa de compensar despesas com transporte e comparecimento a sessões ordinárias e extraordinárias. Os dois voltaram a incomodar oito meses depois, no dia 1° de fevereiro deste ano, quando conseguiram derrubar o pagamento do auxílio-moradia: R$ 2.250 mensais aos 94 deputados da Alesp, incluindo aqueles com residência própria na capital. No dia 13 de maio a decisão foi confirmada, mas cinco dias depois que os promotores entraram com o pedido para derrubar o auxílio-moradia, ou seja, no dia 6 de fevereiro, Campos Machado havia protocolado sua proposta contra o MP.

Em 17 de maio a Assembleia desistiu de recorrer contra a justiça e criou no lugar o auxílio-hospedagem, este de caráter indenizatório e não remuneratório, como era o auxílio-moradia. Esse auxílio só é pago aos deputados que não moram na região metropolitana e ou não têm imóvel na cidade de São Paulo. Eles podem ser indenizados por valores que vão até R$ 2.850 mensais. A medida aumenta o teto de gastos dos gabinetes com a GED de R$ 6,4 milhões para R$ 10,7 milhões por ano. Esse valor seria alcançado caso todos os deputados fizessem a atribuição integral da cota. Acontece que a maioria o faz...

Tem mais absurdos na casa onde nosso nobre deputado elabora seus projetos para denominação de praças e trechos de rodovias! Muitos assessores relatam que tem de repassar aos deputados o tal valor atribuído como GED. Em dia de pagamento muitos servidores do gabinete fazem fila para devolver os valores aos seus respectivos "empregadores". Sem falar nas manobras que atribuem cotas inteiras para funcionários que acabaram de ser nomeados nos gabinetes. Como é que um servidor recém-contratado recebe uma cota inteira tão logo chega à Assembleia já que se trata de uma "premiação" por desempenho???

No mês passado, a própria Assembleia suspendeu um auxílio-saúde que instituíra para reembolsar deputados por gastos não cobertos pelos seus planos de saúde. O valor do reembolso poderia ser de até R$ 100 mil. Só que essa providência só foi tomada depois que o Ministério Público abriu um inquérito para apurar os ressarcimentos. O auxílio-saúde foi criado em outubro de 2012.

Concluindo...
Nosso nobre deputado tem motivos de sobra para comemorar sua "vingança" contra o grupo que o derrotou nas últimas eleições, mas pode botar as barbas de molho porque, ao menos a prefeitura ele não ocupa tão cedo. A menos que decida, finalmente trabalhar por nossa cidade de fato! Existe o risco de que até uma parte considerável de seu eleitorado cativo de aproximadamente 25 mil eleitores na cidade o abandone nas eleições para deputado em 2014. Pensando melhor... Acho que ele não deveria comemorar coisa nenhuma!

5 comentários:

  1. Nilson, boa tarde. Este indivíduo, que supostamente nos representa na Assembleia Paulista, em nada me surpreende as suas atitudes e tomada de posições, pois é simples de constatar a sua pequenez é só buscar no próprio site da Assembleia, onde nenhum dos demais deputados o suportam, a não ser naquilo que é mestre (CHANTAGEM EMOCIONAL)ou intimidar os próprios pares. Eu com relação a ele, nunca perdi meu voto, pois jamais dediquei a ele meu voto e nunca perderei. Para finalizar, se estivesse em seu lugar, já havia enfiado a viola no saca e nem se quer seria candidato a mais nada, desapareceria para muito distante de nossa amada Birigui.

    ResponderExcluir
  2. Nilson!

    Lamentável a população de Birigui, justificar o injustificável. Se comprou voto é contra a lei, é crime e deve pagar por isso.

    Justificativas como: O outro também comprou; O outro sempre compra; Sempre existiu isso; Eu não vendi meu voto;

    Em meio a tantas manifestações por justiça, o POVO está reclamando do que?

    Se comprou voto e foi cassado, parabéns ao judiciário e ao Pedro, na próxima vez, economiza meu tempo.


    Ao Roque, opa! Troca a música.

    ResponderExcluir
  3. Caminhando para a Moralidade.
    Espero que seja um divisor de água para Birigui. Que os próximos Candidatos não se deixem levar por partidarismo, pela manutenção do poder e mesmo que cheio de boas intenções não aceitem imposições feitas pela máquina em funcionamento, trazendo consigo pessoas imbuídas na melhoria da cidade e da população, que se ganhe por Mérito.
    Desta forma creio que encerramos um ciclo que possivelmente gerou o fenômeno Roque Barbieri que por muitos anos teve o apoio da grande maioria da indústria e comércio e que por igual tempo foi atacado e acusado, sem um oponente para denunciá-lo mediante provas, gerando o que eu chamo de Dilema da Tostines e fazendo com que Birigui esteja na eterna dúvida se:
    - a Verba não vem porque o Prefeito é da oposição ou
    - o Prefeito não pleiteia a verba porque vem da oposição ...

    ResponderExcluir
  4. Pensando em próximas eleições, Hebe e o menino da pista de skate, o menino fotografia junto aos atuais governantes. Nada contra esses dois, mas. Birigui não tem ninguém melhor? Se esses representam o povo desta cidade vcs estão com problemas, não de governante, mas de povo.

    ResponderExcluir
  5. Olha o Pedro barnabé so não comprou votos como fez boca de urnas, no dia da eleição enviou mensagens nos celulares pedindo votos, esse tal de Pedro fez o que por birigui ate hoje ele so esta la para tampar os buracos do Borine que acabou com a saúde de vez de Birigui e ficou fazendo praça, Birigui precisa de Saúde e de empresas para gerar emprego, tem que sair esses pau no cú e entrar algum candidato que goste mesmo de birigui.

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.