Rádio Na Pior

Últimos Artigos
recent

Comento o texto do jornalista Aladim Martins...

Encerramento da Copa 2014 no Brasil - Um Asno
Sei que o momento já passou, mas não posso deixar de pegar uma carona num argumento muito bem desenvolvido por um profissional que acompanho. Tenho de concordar com absolutamente tudo que o comunicador Aladim José Martins publicou em seu perfil no Fasciobuquio neste final de semana! Reproduzirei na íntegra por que acho que vale a pena e comento em seguida!
"Acho engraçado quando vejo pessoas chorando por que o Brasil não vai ganhar a Copa do Mundo e perdeu de maneira vexatória para a Alemanha. Parece até que o futebol é parâmetro pra se medir o Brasil e que a modalidade esportiva isoladamente representa a nação. Outra coisa desagradável é ver crianças chorando como se tivesse perdido os pais, avós, irmãos ou um amigo querido. Quantas coisas importantes deixaram de ensinar para esta criança? Uma nação não se representa por uma modalidade esportiva e sim pela educação que o povo recebe sua classificação quanto ao recebimento dos direitos do ser humano e ai podemos elencar a saúde, segurança, liberdade de expressão, alimentação, cultura e outros que infelizmente nossa população vê surrupiada por governantes corruptos e uma justiça cada vez mais politica (ou indicada por políticos). É triste ver nossa população dar prioridade ao supérfluo e considerar supérfluo o que é de fundamental importância. Bom depois disso vai acompanhar e torcer pelo Brasil no jogo de hoje. No mínimo não quero ver a Holanda massacrar nossos valorosos (salários milionários) jogadores. Viva o Brasil, país de terceiro mundo que tem um povo maravilhoso onde os espertos governantes fazem do futebol o grande "Circo" e das "bolsas" o pão. Se ganharmos os jogadores brasileiros dividem 49 milhões com a comissão e se perdermos a quantia cai só para 42 milhões. Eu de qualquer maneira continuarei trabalhando 14 horas por dia. Que vença o Brasil e que mesmo assim vejamos as lagrimas milionárias do atleta e o choro doido e pobre dos torcedores". Aladim Martins.
Aladim não gosta do que escrevo e isso nunca me impediu de acompanhar seu trabalho até hoje... Nem sempre podemos mesmo concordar com tudo o que pensa outra pessoa. Ainda bem! Já pensou se todos concordássemos mesmo, qual seria o grau de evolução da nossa humanidade? Acontece que Martins tem razão por que não podemos desperdiçar a oportunidade de aprender com este episódio que muitos querem apagar de suas lembranças. Não assisti a nenhum jogo de fato. Infelizmente ou felizmente, futebol não é muito a minha praia (deve ser por que sempre fui horrível nesse esporte). Fico mais entusiasmado com uma partida de Xadrez do que com aquilo que já nos tornou referência no mundo, embora sejamos novamente, mas como parâmetro para uma boa piada! Por que fomos derrotados pelos aleMAUS? Por que não evoluímos frente a Holanda? Refletir sobre isso ninguém quer... Não se trata de escolha tática ou técnica. Nisso não erramos! Era o que se podia fazer com as características de nossos jogadores. É o mesmo que se faz lá fora quando são aproveitados em times europeus. Mas aqui é Brasil! Entram outros fatores...

Não vem ao caso agora nos perdermos em teorias do futebol, mas sim em outro aspecto. Ainda não deixamos de ser uma eterna colônia e é isso que deve nos incomodar de verdade. Volto ao comentário de Aladim e vejo por que é importante uma reflexão agora, sobretudo depois que passou a fumaça ilusória de festa e somos chamados a realidade outra vez para as eleições. Somos colônia de ideias e ideologias de gente que nunca sequer sonhou com uma terra como a nossa, mas ainda assim teimamos em importar esses pensamentos que não representam o coletivo de nossa nação. Ninguém tem de dizer ao nosso povo que modelos de outra nação devemos seguir. Os japoneses limpam sua própria sujeira? Os alemães são disciplinados, organizados e sabem demonstrar superioridade? É de valores que se trata! Que tipo de povo realmente somos? Temos ou não capacidade para dar exemplo e servir de modelo também! Criticamos nossos governantes e representantes, mas como agimos em nosso dia a dia? É impressionante como nosso comportamento, disciplina e moral tornam-se flexíveis diante de situações onde podemos ser favorecidos ou favorecer alguém que apreciamos.

Nos orgulhamos de sermos um povo criativo (na verdade malandro) e de, como repetem sem refletir, crescer nas adversidades! Quais adversidades? Terremotos, furacões, vulcões, guerras? Não! Adversidades que nós mesmos criamos por nossa própria desorganização e preguiça macunaímica. Fizemos um grande espetáculo contrariando até os mais pessimistas, mas a que custo? Minha memória não é tão fraca! Lembro-me muito bem das justificativas, lá no início de tudo, para que nossa festa fosse tão mais cara do que a de outros países. Disseram que não se tratava apenas do custo dos estádios, mas das grandes obras que deveriam ser realizadas e que, estas, sim, ficariam para nossa nação usufruir. Pois bem, além dos estádios, o que temos de fato? Nossas rodovias estão livres dos grandes problemas que sempre tiveram e que sempre aumentaram demais os custos de nossos produtos? Nossos problemas com transporte urbano foram completamente sanados?

Eu estava certo ao menos sobre um ponto quando defendi que a copa fosse realizada em nosso país: ela revelou nossas fraturas e expôs toda fragilidade de um sistema vulnerável demais à baixa índole do extrato de malandros que se beneficiam sempre do pouco interesse da população pela política. Pergunta simples: por que, se temos o mesmo tipo de material, conhecimento e tecnologia de outros países, nossas estruturas caem antes mesmo de serem inauguradas? Por que outras não duram mais do que 30 anos? Não acredito mesmo que seja falta de capacidade técnica de nossos engenheiros! Sei muito bem que obra nenhuma em nosso país é construída segundo as orientações rígidas da engenharia e até das leis da física, por uma razão estúpida: flexibiliza-se o custo na matéria-prima, nas normas de segurança, etc., menos no processo, na burocracia e no sistema de vantagens que impera do mais alto ao mais baixo crápula envolvido.

Um político é safado por meter a mão em dinheiro que não lhe pertence? O que somos nós quando recebemos o Seguro Desemprego ou outro benefício sem de fato merecer ou precisar? Um político engana quando mente em seus discursos? Que fazemos nós quando mentimos em um simples currículo? Temos a cara de pau de nos referirmos aos nossos baixos exemplos morais sempre colocando o povo brasileiro em terceira pessoa (ele), sem nos atentar a quantas vezes incorremos em falhas semelhantes. Deixamos de dar a seta, mas nos incomodamos com quem não nos avisa sobre sua intenção de mudar a direção do veículo. Jogamos o lixo no chão (afinal não há lixeiras próximas), mas criticamos quem não coloca seu papel de bala no bolso, ou joga sua embalagem vazia em vias públicas. Não esqueçam do Viaduto que tombou! Quantos macacos hidráulicos estavam presentes na obra? Alguma semelhança com aquela tragédia ainda não apagada de nossa memória, a da Boate Kiss?

Não faltemos com a verdade para nós mesmos! O que de fato há para se comemorar de nossa história recente? Com que ganhos reais nossa população foi favorecida? E... principalmente! O quanto cresceu intelectualmente, moralmente e socialmente o nosso povo? É estarrecedor ver o que vem acontecendo com nossa gente. Querem saber realmente o que é racismo? É o ódio gratuito a tudo aquilo que nos pareça alheio ao que pretendemos que seja o nosso universo particular. Por isso vemos aberrações dantescas se proliferando cada vez mais, principalmente através da internet. Vejam o exemplo das vaias contra a prefidenta Dilma durante o encerramento da Copa. A vaia é algo completamente natural e que sempre estará próxima de quem escolhe a vida pública. Já disse que não concordo com a agressão! Vaiar é uma coisa, mandar tomar no fiofó é agressão! Mas concordo menos ainda com as reações que se espalham na rede contra quem utilizou esse recurso pra homenagear a prefidenta. Observem o extrato retirado dos comentários no site Brasil 247:
VIVA A COPA! VIVA A DILMA! 13.07.2014 às 21:09Lavem a boca para falar mau da Dilma! Esse povo é que dá VEXAME NO PAÍS. Vaias a quem deu vaias a Dilma. Aécio Neves falou mau da Copa mas estava lá com os filhos quase em todos os jogos. Quem vaiou Dilma é sim uma ELITE ASQUEIROSA. Não gosta do país. Só quer mamar no Estado e fazer compras em Miami. Bando de gente sem escrúpulos. São esses que se puderem corrompem qualquer um para ter o seu preservado. Mas o Brasil é maior que estes aí e o povão vai VOTAR EM DILMA!
Teatino 13.07.2014 às 21:11Os coxinhas da direita, desculpe a redundância estão com o fígado em frangalhos deve ser por conta do ilícito, ou pela diarréia mental que lhes acabou afetando a zona hepática. Vão morrer do próprio veneno. Espero.
souza 13.07.2014 às 21:18Os que xingaram a Presidente Dilma, não passam de abortos da natureza.Já os coloquei numa privada e puxei a descarga, foram todos para o esgoto imundo, habitat condizente com as bocas podres dos vermes e das ratazanas que as xingaram.Tenho dito.
Nada justifica a agressão contra Dilma dentro dos estádios, mas o que é que justifica que pessoas tão intolerantes se manifestem com tal ódio contra aqueles de quem discordam? Esse é o melhor extrato da nação que melhorou nos últimos anos? Em que estamos melhores de fato? Até quando esse país será construído segundo o pensamento míope do nós contra ele? Neste final de semana mesmo tive de me explicar para alguns amigos sobre meu posicionamento político por que sou antipetista... Ora bolas! Não sou anti nada! Sou pró meu país! Não quero é que esse comportamento de guerrilha de intelectos burros perdure nessa nação. Já deu! Contra quem estamos lutando? Tem razão Aladim! Estamos supervalorizando o supérfluo é subestimando o que realmente é essencial para nós: nossos valores, costumes e moral. Futebol é um esporte, não parâmetro de referência nacional. Quais são as referências dos países que nos visitaram? Futebol? Samba? Tango? Chucrute? Deixemos de ser os eternos cucarachas e busquemos nos  refletir nos modelos mais nobres que temos no mundo e também naquilo que temos que nos destaca entre eles. Para encerrar... Crianças... Continuem sonhando em ser jogadores para "dar alegria" ao nosso povo ganhando uma partida de futebol... Continuaremos rindo e chorando indefinidamente! Deixo abaixo uma imagem que registra o volume de prêmios Nobel distribuídos mundo afora desde 1901. Nosso país ainda nem chegou perto!
Prêmios Nobel por País - Um Asno

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.