Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

A conversa mole sobre classes e minha torcida pelo Maranhão

Flávio Dino, governador do Maranhão - Um Asno
Vejam se não tem sua graça! O Brasil não é o país da piada pronta como sempre repete o historiador Marco Antônio Villa, mas concentra em sua população um intelecto muito mais de humoristas do que de pensadores, intelectuais e pragmáticos. No auge de meus vinte e poucos anos tive um romance que foi inviabilizado por minha condição financeira inferior... A família da guria era de classe média, mãe professora aposentada e pai gerente de banco (nem era para tanto!). Foi humilhante e deprimente ser desqualificado por ser "favelado", "mulambento", etc. No sábado passado, durante a manifestação da Avenida Paulista, fui novamente desqualificado por ser "burguesinho" e "filhinho de papai". Meu Deus! O finado seu Lourival, meu pai, saqueiro e pedreiro a vida toda deve estar se sentindo homenageado! Não é o caso, mas até parece que a legitimidade para se manifestar seja monopólio de quem "parece" pobre.

Sei lá... Tem algo errado! Burguês filhinho de papai faz manifestação aos sábados para não interromper sua rotina no trabalho, enquanto que os movimentos sociais de "trabalhadores", "pobres" e "necessitados" se organizam para se manifestar durante a semana pra inviabilizar a vida de quem esteja trabalhando de fato! Expliquem-me de novo! Que raio de classes sociais são estas que os jornalistas insistem em delimitar no país? Há realmente uma guerra de classes no Brasil? De jeito nenhum! O que há é uma batalha exaustiva e sem futuro entre ideologias que não se sustentam diante da menor crise sob argumentos mais sólidos. Eduardo Guimarães do Blog da Cidadania fez uma análise impressionante sobre a atitude de um ministro do STF e demonstra como alguns enxergam essa disputa ilusória! Espia só o que ele escreve sobre o Ministro do Supremo Tribunal Federal, José Antônio Dias Toffoli!
(...) Entre 1995 e 2000, foi assessor jurídico da liderança do Partido dos Trabalhadores na Câmara dos Deputados. Também foi advogado do PT nas campanhas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 1998, 2002 e 2006. De janeiro de 2003 a julho de 2005, exerceu o cargo de subchefe da área de Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência da República, durante a gestão de José Dirceu. Em março de 2007, foi nomeado Advogado–Geral da União por Lula, função que exerceu até outubro de 2009, quando o ex-presidente o indicou como ministro do STF, em substituição ao ministro Carlos Alberto Menezes Direito. Quando Dirceu foi apeado do cargo de ministro-chefe da Casa Civil devido ao mensalão, em 2005, Dilma assumiu seu posto e exonerou Toffoli, que ficou sem cargo no governo até 2007, quando foi convidado por Lula para ser o AGU e depois, em 2009, para assumir a vaga no STF. Em resumo: Toffoli não gosta de Dilma por tê-lo exonerado da Casa Civil em 2005, após Dirceu perder o cargo. (...) Eis a verdadeira motivação de Toffoli para atacar o partido a que serviu um dia: não gosta de Dilma, quer ficar amiguinho da mídia e da classe média como Barbosa e sonha em ficar mais 28 anos no STF em vez de mais 23. (...)
Agora o Ministro Toffoli (por quem não nutro grande admiração por sua participação no caso do Mensalão), experimenta o azedo caminho pelo qual acabou trilhando o ex-Ministro Joaquim Barbosa! Virou inimigo por que estaria tomando uma decisão que faz par com a de outro juiz que é considerado alemão entre os petistas: Gilmar Mendes! De novo o texto na íntegra vem carregado dos vocábulos "Golpe" e "Direita"! Rapaz... Chega a ser hilário, porém dramático! Toffoli era bonzinho quando tomava decisões que pareciam favorecer a facção, mas agora virou aliado do inimigo! Cogitar que suas decisões sejam amparadas por sua formação técnica, tanto para uma direção quanto para outra, nem pensar! É phoda né Toffoli! Com seus amigos você vai direto do paraíso ao inferno sem breve estadia no Limbo ou Purgatório!

É claro que nós, o povo de verdade que não falamos em nosso nome e apenas lemos o que outros falam, sabemos distinguir preconceitos, sim. Isso por que nós o sentimos de fato, não o experimentamos através de conceitos e discursos. Nós vemos juízes se comportando como integrantes de uma casta superior! Nós vemos policiais não serem muito diferentes dos bandidos que nos ameaçam e nós vemos os políticos e seus defensores nos tratarem como a idiotas! Pior! Se algum de nós pensar na ideia de manifestar insatisfação com as mentiras que ouvimos, com a propaganda falaciosa de que estamos indo muito bem (vemos e sentimos que não!), que não aguentamos mais tanta falta de planejamento, tão absurda incapacidade de administração, logo nos pregam o rótulo de "golpistas", "direitistas", etc. Mas, a conversa fiada de "golpe" e "conservadorismo de direita" não para em Guimarães! Breno Altman também dá sua contribuição, vejam:
(...) A direita não está agindo apenas por ódio de classe, ainda que tal sentimento mobilize seus seguidores para o combate. (...) O capital usurário e sua rede de relações, por seu lado, defende a política de juros altos e corte nos gastos governamentais, para preservar o valor e a segurança de sua receita. (...) Este setor, cujo núcleo duro está composto por vinte mil famílias que abocanham 70% dos juros pagos pelos títulos da dívida federal, de quebra almeja a redução relativa de salários e direitos, como atrativo para um novo ciclo de acumulação capitalista. (...)
Como é cara pálida?? Quem começou essa guerra de ódio?? Quem inspirou o povo a voltar-se contra o povo?? Vem cá... Não fazem tantos anos assim e esses, outrora heróis da tinta no papel e atualmente julgadores da opinião alheia, estavam todos unidos contra uma força monstruosa denominada "Estado". Agora é o povo que passou de vítima a vilão! Desafio esses senhores a desgrudarem o fiofó da cadeira e irem debater com os manifestantes na próxima vez! Duvido que, de fato, encontrem tantos conservadores quanto querem fazer acreditar que existem no país! Sabe o que mais! Eu sou tão reacionário nojento que estou apostando todas as fichas no próximo governador do Maranhão, Flávio Dino. Ora, pois! O cara é do PCdoB! É mesmo, só que se parece muito mais com um liberal do que com um trotskista. Além do mais, aquele estado ficou quase meio século na mão de saqueadores profissionais (aliados do atual governo atual, diga-se de passagem), que tenho plena convicção de que Dino conseguirá recuperar aquela região e ainda beneficiar outros estados como Tocantins, Bahia e Piauí através do progresso do Maranhão.

Olha que interessante! O Brasil não se resume a características regionais ou simplesmente locais! O que acontece no Maranhão afeta minha vida em São Paulo e vice versa! Confio mais em Dino a frente do Maranhão do que em Fernando Haddad a frente da prefeitura de São Paulo! Para encerrar, esse negócio de classes sociais é fetiche mesmo de intelectuais fake que são muito bons de escrita, mas não conseguem adesão de ninguém da massa por que agem como o Aécio Neves agiu durante toda a campanha eleitoral de 2014: falam para os seus semelhantes apenas!

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.