Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

Considerações sobre as Manifestações do dia 29/11/2014

Lobão na Manifestação do dia 29/11/2014 - Um Asno
Sempre leio os textos de Roberto Pompeu de Toledo e gosto do que leio! Dessa vez, não foi diferente, mas tenho a obrigação de considerar algumas de suas linhas e discorrer sobre alguns acontecimentos durante a manifestação do último dia 29/11/2014. Chequei até a metade do caminho para participar da passeata, conforme havia garantido que o faria, mas um compromisso ainda maior me desviou do objetivo: meu trabalho! Em seu artigo "Caro Golpista", publicado na coluna do Augusto Nunes no site da Revista Veja, Toledo mais uma vez está coberto de razões e não pretendo acrescentar nada aos seus argumentos. Porém, tenho que, também, dar uma contribuição para desconstruir um rótulo injusto sobre alguns cidadãos de bem. Para começo de conversa, golpista é o caraaaaalho! Porém, antes um comentário sobre a reunião de 500 pessoas em frente ao MASP neste último sábado.

Finalmente! Finalmente a mídia decidiu dar destaque às manifestações contra o atual governo! Nada de comemorar por que o destaque foi pra descer o sarrafo! Na manifestação passada, no dia 15 de novembro, fomos mais de 10 mil e ganhamos 4 segundos nos telejornais e algumas notas pejorativas nos principais jornais impressos. A exceção veio da mídia estrangeira, por incrível que pareça! O que os jornais noticiaram desta vez? Que houve confusão, duas pessoas foram presas, um ator (Ivo Borges), teria sido agredido por que provocou os manifestantes, um manifestante solitário de oposição ao movimento levou uma cusparada na cara e a "Turma do Chaves" estava indignada por que o protesto atrapalhou a homenagem que os fãs realizavam para se despedir do comediante Roberto Bolaños. Uau! Quinhentas pessoas renderam mais linhas do que 10 mil!! Cara... Conseguimos!! Conseguimos ferrar com o sentido das manifestações! O músico Lobão, a quem já elogiei bastante pelo seu último livro, chegou a bradar contra as pessoas que pediam pela intervenção militar dizendo que eram "tão alienígenas quanto o MST" naquele evento. A galera vermelhinha vibra!!

Os vermelhos estão sorridentes e com muita razão! Afinal, eles são mais doutrinados, organizados, focados e orquestrados! Eles podem reunir uma dúzia, mas conhecem a fórmula para chamar a atenção da mídia! O negócio é baderna mesmo, bicho! A diferença é que quando vândalos assumem o controle das manifestações dos vermelhinhos, logo os jornalistas disparam: "São infiltrados! É gente da direita reacionária, da elite branca que está distorcendo o protesto!". Mas, quando é gente que eles insistem em chamar de "direitistas" o papo é covardia pura! Não! Não estou dizendo que os incidentes foram perpetrados por infiltrados de alma vermelhinha! Ao contrário, tenho convicção de que os incidentes ocorreram mesmo e a culpa dessa merda toda é das lideranças que decidiram iniciar a campanha sem um consenso sobre qual horizonte seguir. A culpa recai sempre sobre os líderes por que, em primeiro lugar, são eles que promovem o separatismo entre os grupos engajados na manifestação! Há gente mais exaltada em todos os movimentos e gente sem paciência para diálogo civilizado também. Isso não invalida suas reivindicações. E quem se mete a querer conduzir massas tem de entender de forno!! De novo... Golpista é o caraaaalho!

Agora retorno ao texto de Roberto Pompeu. O momento que vivemos hoje é realmente distinto do de 1964 e, com certeza, não há a menor chance de termos uma intervenção militar. Ainda que toda a população fosse às ruas pedir por isso, dificilmente as Forças Armadas atenderiam por que não há ruptura que justifique. Além do mais, ainda que se justificasse a intervenção e ela ocorresse, de novo! não estamos em 1964 e o que teríamos dessa vez não seria um governo militar, mas a sandice de um conflito extremo entre "curdos" e "xiitas" tupiniquins! Ou ainda pior! Ficaríamos igual a Venezuela com um presidente que conversa com um morto que lhe aparece em forma de passarinho! É puro desperdício de tempo! Só não é desperdício maior do que exigir o impeachment da prefidenta!! Ora, se isso for ocorrer, será pelas vias institucionais que funcionam em nosso pais, embora a passos largos e bêbados! Ainda melhor que Argentina e Venezuela! Nós, os reacionários, que discordamos de quem pede intervenção militar e avançamos sobre eles como ditadores da razão, não agimos diferente daqueles dos quais discordamos, sejam eles, os vermelhinhos! 

Critiquei o músico Lobão e o jornalista Reinaldo Azevedo por que entendi que o que estavam fazendo contribuía mais para a dissolução do movimento do que para aglutina-lo. Não acredito que o momento seja para separação das demandas e sim o oposto! Aos líderes falta a magnanimidade para reconhecer no que seus manifestos são semelhantes e com isso unir todos os insatisfeitos segundo a mesma batuta. Tem ego demais na avenida, !! As justas demandas perdem contraste cada vez que são exaltados os comportamentos que nos aproximam do esteriótipo de golpistas. Não adianta pedirmos por coisas que não encontram nem legitimidade e nem apoio do restante da população que está à margem sem saber se participa ou não das manifestações.

Tenho completa aversão a certas teorias conspiratórias que eclodem no universo do Fasciobuquio. É perda de tempo e da simpatia daqueles que concordariam conosco. Todos nós, trabalhadores de verdade, estamos recebendo o tempo inteiro a pecha de coxinhas daszelitebranca e o resto da população, a quem também estamos defendendo, começa a acreditar nisso! Intervenção militar e impeachment pelas ruas (e não pela justiça), trariam ao país mais prejuízo que qualquer golpe em si. Pompeu deu um alerta grosseiro (quem vos fala, né!!), porém pontual! Nosso objetivo é fazer oposição aberta as propostas que aleijam nossa economia, extinguem nossa liberdade e distorcem os valores nos quais acreditamos. Além do mais, queremos transparência real nos resultados e que deixem de nos tratar como inimigos. O papel de quem se opõe também é construtor dentro de uma democracia!

Roberto, estamos navegando sem um timoneiro capaz, só isso. A falta de uma liderança e um propósito coeso conduziu as manifestações de 2013 para um ocaso tímido e o mesmo pode se repetir agora, apesar de sermos bem mais civilizados! Ninguém está nas ruas de fato para promover golpe. Nós temos mais o que fazer! Isso só acontece na cabeça daqueles que julgam, inclusive, os profissionais do seu ofício como inimigos. Só queremos ser tratados com justiça pela imprensa (coisa que não esperamos mesmo, pois muitos jornalistas já não têm mais a nossa confiança) e que não sejamos uma "minoria" desprezada pelo governo. Se estamos indignados é munição suficiente para que o governo reavalie suas atitudes e seu projeto famigerado de poder. Lobão... Dá pra entender o alarmismo do pessoal que pede intervenção... Do jeito que andam as coisas e em um continente, cuja maioria dos países tem se tingido de vermelho nos últimos anos, todos que não concordamos somos mesmo alienígenas!

Para concluir, um pouco de compreensão e tolerância não faz mal a ninguém. Conversei com algumas pessoas que acreditam ser a intervenção militar a única saída e compreendo o ponto de vista deles. Muita gente (mas, muita mesmo!), não sofreu durante a Ditadura! Alguns garantem que até viviam melhor e eu não duvido. Tem gente feliz bragarai com o governo petista!!! Agora... Se tem gente pedindo pelo impeachment ou pela intervenção militar a culpa é de quem??? Eu avalio muito o que leio dos colunistas e o que assisto no "Intube". É de lascar! Com tanta merda disponível na internet, acho até incrível que muitas pessoas não tenham começado a estocar alimentos e construir abrigos nucleares sob suas casas! Para muita gente o caminho é o extremo por que o cenário lhes é mostrado dessa maneira. Os vermelhinhos também acreditam que só a extinção do capitalismo trará a felicidade ao planeta!! Pôxa, gente... Menos manifestos, propostas contraditórias e discursos! Mais debate, argumentos e tolerância!

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.