Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

IRMÃOS!!! OPERAÇÃO "JE SUIS CHARLIE" FOI UM SUCESSO!!

Muçulmanos defendem Charlie Hebdo - Um Asno
Como diria uma amigo meu (é... por incrível que pareça, eu tenho!), "Mané do céu!". Os manos da Al Qaeda, Estado Islâmico e outros malucos espalhados pelo mundo (inclusive no Brasil!), devem estar em êxtase! O principal objetivo de um líder desse tipo de excremento ideológico é afetar ao maior número possível de pessoas, independente se o número de vítimas for grande (como o World Trade Center), ou menor como no caso do recente atentado em Paris que ganhou manchetes no mundo todo. O que eles devem celebrar é que agora, além das recentes vítimas do Charlie Hebdo eles terão milhões de "charlies" para explodir! Eles queriam isso mesmo! Que o mundo assistisse, que os intelectuais discutissem, que as câmeras fossem ligadas, que o fervor tomasse as ruas... Missão cumprida! Operação bem sucedida! Podem esperar mais disso pela frente! O Brasil não está fora dessa rota, por mais que nossos experts apresentem argumentos de sobra pra negar isso. Na contabilidade de um líder terrorista não existem argumentos... Só holofotes! E quanto mais desproporcional o ataque, maiores as reações e maior o pânico.

O colunista David Nogueira escreveu um bom artigo dizendo que foi um tiro no pé... É tiro no pé mesmo? Ah, mas isso trará uma grande onda islamofóbica sobre o mundo, dizem alguns!!! Ora... E o que acham que os líderes terroristas desejam? Querem (sempre quiseram) a guerra contra o Ocidente. Aliás, guerra não! Exterminar o Ocidente! E não são tão malucos quanto parecem. Espia! Dividem as opiniões no mundo, assim fica mais fácil combater um inimigo enfraquecido em seu próprio campo. Semeam o terror e o sentimento de que seremos obrigados a retaliar para garantir nossa segurança... E desse modo partimos para o ataque justificando mais absurdos bárbaros. E... Já viu algum líder terrorista realizar algum atentado ele próprio? Lógico que não! Usa para isso os abestados que recruta prometendo recompensas que eles jamais conseguirão saber se existem ou não. Jovens são ainda mais fáceis de manipular. Acreditam que romperam a película da autoridade, mas estão carentes, sentem uma necessidade de pertencer a algo e de se sentirem importantes. Não percebem que é a carência que os guia e desse modo torna-se autoridade sobre seus desejos. Seja por um líder carismático, um comportamento ou uma ideia que os faça se sentir integrados, lá estarão os jovens prontos para servir a família Manson com entusiasmo!

Bem antes de serem os muçulmanos associados com a intolerância e a agressão extrema, já haviam atentados no mundo. Cristãos, ateus, protestantes e até supostos budistas já se envolveram em ações de terror. Mataram em nome de alguma causa? Conversa fiada! Mataram por que essa era a natureza deles e nada nunca teve a ver com uma causa! Pessoas que tendem a crer que o mundo deve funcionar segundo sua visão particular acabam apelando para a violência para se sobrepor. Aqui no Brasil tem muita gente tentando justificar a atitude dos terroristas. Bom... E quando for em nosso quintal, bem no meio de um desfile das nossas escolas de samba? Faremos um movimento "Nós somos Rio"? Ou, se por acaso, o ataque for na Cracolândia? Ops, desculpem, exemplo errado! Tenho certeza de que essa última frase vai dar merda! Meus caros... Fundamentalistas tem o Ocidente como inimigo e... Espia só! Estamos no Ocidente!!! Desde que aprendi e me atrevi a escrever, sempre evitei empregar em um mesmo parágrafo as palavras muçulmano e terrorista muito próximas. É o que muitos evitam por medo de retaliação violenta, por isso é mais fácil fazer piada com o Natal (né, Porta dos Fundos). Mas... Diacho! Para que tanto esforço?

O Islã não é o terror, mas o terror pode vir, também, do Islã. A discussão sobre o ataque terrorista à revista satírica Charlie Hebdo trouxe muitas opiniões. Gostei particularmente do que escreveu o estudante de Língua e Literatura Árabe, Plínio Zúnica (artigo aqui). E nem preciso dizer por que detestei o texto do "papa" dos imaturos, Leonardo Boff. O cara é um mágico! Ao mesmo tempo que quase tece uma crítica sóbria quanto as razões do atentado, ele consegue arrumar espaço para criticar o PSDB, a revista Veja e a Globo no mesmo balaio para justificar seus argumentos. Ok... Iremos pelo mesmo caminho! Não faz muito tempo o prédio da Editora Abril sofreu um atentado terrorista! Ah! Mas, ninguém morreu ou foi agredido fisicamente! Foi um ataque simbólico a também um símbolo que representa os "porcos imperialistas", a "elite branca", etc. Não... Foi um ataque estúpido e de viés terrorista, não importa se a intensidade é mais branda do que a sofrida por Charlie Hebdo. A única maneira de enfraquecer um veículo de comunicação é simplesmente não consumindo o seu produto! Explodi-lo, atear fogo, vandalizá-lo ou até matar seus funcionários só fará com que seu produto alcance ainda mais consumidores.

Só mais uma coisa... Críticas desmesuradas estão em toda parte afirmando que a exposição do caso Charlie é maior do que outros casos muito mais graves no restante do mundo. Táa... O que esperavam? Que a mídia mundial não fosse também corporativista? O ataque foi a um órgão de imprensa, logo... A imprensa toda iria se levantar, sobretudo quando existe tanta gente argumentando que ela precisa ser regulada pelo estado! Particularmente, sou contra qualquer controle que parta do estado. Em meu modo de vista, a melhor regulação é o boicote! Por exemplo... Já comprei a revista Carta Capital duas vezes (estava deprimido e buscando razões para rir), não faço mais e pronto! Ela está sob regulação... Ao menos para mim que não a leio mais! Não irei jogar nenhuma bomba em sua redação por que não gosto do trabalho que é feito ali. Lia assiduamente ao blog do Paulo Henrique Amorim por que de alguma maneira acreditava que precisava conhecer o contraditório antes de aderir ou não a uma posição política. Não perco mais tempo! O Brasil247 tem sido mais proveitoso! Não concordo com muito do que está publicado lá, mas ao menos alguns se empenham numa argumentação e não apenas na dissimulação dos fatos para reinventar uma verdade. Equívocos, todos cometemos, mas há tempo para corrigi-los... No caso da violência além das palavras, não!

Sempre considero a opinião do jornalista Reinaldo Azevedo muito pontual e o tomo como maestro na maioria dos seus argumentos. Entretanto, ele escorregou ao clamar para que toda comunidade islâmica reaja contra os movimentos de extremistas dentro da religião. ... Eles poderiam até fazer isso, embora sejam muito mais vulneráveis do que nós justamente por que não são fundamentalistas e isso os coloca em posição bem delicada perante os manos radicais! Je ne suis pas Charlie! Também não sou Charlie, Je suis Nilson!! Tem muita gente se esforçando muito pra entender ou justificar o que aconteceu em Paris. Nem perco tempo! Não há justificativa alguma! Terror é terror! Mas... Os franceses foram filhos da puta quando invadiram, ou colonizaram, ou mataram pessoas de outras regiões e até muçulmanos?? Sim! Porém, aqueles que fizeram isso o fizeram por que eram franceses ou por que eram filhos da puta?

Vocês entenderam muito bem! Americanos, britânicos, franceses exploraram o Oriente... O Oriente já explorou a Europa... Os ocidentais ferram com os orientais e estes, por sua vez, ferram a si mesmos e assim por diante! Nada disso tem a ver com religião, ideologia política ou estado de espírito! Os malucos que mataram os cartunistas do Charlie não mataram por que são muçulmanos, mataram por que simplesmente são retardados que acreditam em virgens no paraíso e são desajustados socialmente. Isso nada tem a ver com uma religião e sim com a demência e psicopatia de cada um. Maniacos matam por que gostam de matar e fim de papo! Cada um dará uma justificativa para sua patológica escolha. Alguns poderão responder até que "não gostam de segundas-feiras"!

Leonardo Boff escreveu em seu artigo (íntegra aqui): "Não acho que nenhum dos cartunistas 'mereceu' levar um tiro, ninguém o merece, acredito na mudança, na evolução, na conversão. Em momento nenhum, eu quis que os cartunistas da Charlie Hebdo morressem. Mas eu queria que eles evoluíssem, que mudassem…". E ao mesmo tempo critica: "Ainda estou constrangido pelos atentados à verdade, à boa imprensa, à honestidade, que a revista Veja, a Globo e outros veículos da imprensa brasileira promoveram nesta última eleição". Ficarei na parte final da frase anterior a esta: "mas eu queria que...". Ora! Mas, isso também é o que todo terrorista quer! Que outros "evoluam", ajam e pensem como eles e repitam suas crenças! Eu não preciso que meus raters evoluam segundo meu ponto de vista... Preciso deles até mesmo para não me perder em meus próprios devaneios! Aceito conviver numa boa com isso e, no auge da minha arrogância, não acredito que alguém passando a pensar como eu seja um claro sinal de evolução!

Não acho que uma pessoa fazendo uma charge absurda sobre qualquer coisa seja razão para agredi-la. Por exemplo, adoro os Simpsons! Tem um monte de humorista sem noção no Brasil também, mas humor é isso, poxa vida! Alguém já sacaneou com minha imagem e eu achei até criativo, embora não tenha gostado muito da recordação que me deram de minha mãe! Se eu achar que devo, encaminho o caso para que a justiça devolva minha tranquilidade. Em caso contrário, ajudo a galera a tirar sarro também. Sou do time que se deixa chutar, mas que também sabe dar coice. Boff ainda dá outras pinceladas quanto a história do Charlie. Aliás, parece até um especialista, ao menos em um ângulo do que pode ser verdade. Fala do perigo que há por trás de atitudes como a dos chargistas do Charlie (e também dos colunistas da Veja), e de como isso contribui para aumentar os ressentimentos e reações radicais. Mas, seu texto tem sabor e algumas frases merecem destaque como as que seguem: "Atacar a cultura alheia sempre é um ato imperialista". Claro! Nesse caso ele se referia ao Ocidente como agressor! Mais abaixo ele continua em seu texto: "Mas é fato que o atentado poderia ter sido evitado. Bastava que a justiça tivesse punido a Charlie Hebdo no primeiro excesso, assim como deveria/deve punir a Veja por suas mentiras" (!!!).

Cara... Sei não... Parece até que tem gente pensando em fazer o mesmo com a revista Veja no Brasil! Não discordo de Boff em alguns casos, mas vejo esse tipo de argumento sendo validado apenas quando o agressor é o adversário! Não vejo um petista sendo batizado de imperialista quando age assim. Boff também tem razão quando afirma que nem toda censura é ruim e que ninguém deve ser ofendido e ficar calado. Ele está certo de novo, mas também aproveitou o gancho para atacar seus desafetos! O velho não é muito diferente daqueles que ele reprova! Faz a mesma coisa. Ao hostilizar certos jornalistas e colunistas ele também promove o ódio geral. É perigoso para os dois lados, senhor Leonardo! Como reagir contra uma ofensa, então? Maria do Rosário ofendeu Bolsonaro... Bolsonaro ofendeu Maria do Rosário. Qual foi a proporção das ofensas? Quem ofendeu mais? Rosário chamou Bolsonaro de estuprador e o que fez ele? Estuprou ela? Não... Disse que ela não merecia ser estuprada (por que seria feia demais para isso). Se a "mídia" corporativista está exagerando na exploração do caso Charlie, o que fizeram alguns esquerdopatas aqui no caso Bolsonaro? Tudo é o que a conveniência traz para alguns grupos, só isso...  Ah... Eu também não sou Charlie, mas tamo junto

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.