Rádio Na Pior

Últimos Artigos
recent

Água: Então o vilão da vez é o Agronegócio!!

"Quando eu era criança pequena lá em Dracena..."! Bom... Eu não desperdiço meu tempo nesse negócio de fasciobuquio nem que me paguem, mas, uma vez ou outra acabo recebendo uma surpresa aqui e outra ali quando entro. O último compartilhamento que vi no grupo do Asno leva a imagem acima como destaque e logo abaixo um texto seguido de variados tipos de opiniões expressas nos comentários. Teria ignorado, como o faço na maioria das vezes por que desprezo o Facebook como fonte de informação ou até de debate. Mas... Tem coisas que eu não consigo controlaaar! Eu tenho orgulho de ter minha origem em um lugar bem apropriado: a zona rural. Isso, inclusive, me gerou alguns problemas com documentação, pois consta que nasci em um lugar, mas nasci em outro. Nem adianta discutir por que o que vale é o que está nos documentos! Até já levei esculacho por tentar corrigir isso e um funcionário abençoado ainda homenageou injustamente meu pai por ter cometido o equívoco, embora o equívoco tenha sido de outro também abençoado funcionário. Tô nem aí! Não vivo em nenhum desses lugares mesmo! 

O senhor José Maria de Almeida, o Zé Maria do PSTU, compartilhou a imagem acima e na sequência um pequeno texto como reproduzo agora: "A CULPA NÃO É DO BANHO l O Brasil é um dos países mais ricos em água do mundo. Com cerca de 13% de toda água doce do planeta. Mas o maior consumidor de água no país é o agronegócio (72%), que tem a produção voltada para exportação de soja, carne bovina e suína. Para se ter uma ideia, só em 2013, o agronegócio gastou 200 trilhões de litros de água, o equivalente a 200 Sistemas Cantareira cheios. O governo e a imprensa tentam colocar a culpa apenas na natureza pela falta de chuva para encher os reservatórios e tenta colocar sobre a população a responsabilidade de solucionar o problema da economia de água. Mas a verdade é que o uso doméstico equivale apenas a 6% do consumo de água no país. Não faltaram avisos sobre a possibilidade de uma crise hídrica. Em São Paulo, por exemplo, faltou investimentos que não foram realizados para não diminuir os lucros dos empresários acionistas da SABESP. Um serviço essencial à população foi entregue à privatização e aos lucros dos seus acionistas e, hoje, a distribuição de água no país atende (bem) mais aos interesses do agronegócio do que as necessidades da população. Fonte: Agência Nacional de Águas (ANA)".

Mané do céu!! Zé Maria não faz nenhum juízo dos dados que compartilhou, apenas, como direi... Espalhou a merda! Nem fui atras das discussões levantadas em virtude do compartilhamento dele, mas, alguns comentários... Merecem um cadinho de atenção! Muitos tentaram separar o Agronegócio (coisa de satã, zelitebranca, porco imperialista, etc), da Agricultura Familiar! É lindo ver alguém correndo na direção dos frascos e comprimidos para defendê-los do mal oportunista que é o empresário rural! Mas espia! A primeira aberração nessa tentativa infrutífera de satanizar um tipo de produtor e tornar belo o outro é que a afirmação do "gênio" Zé Maria é de que o agronegócio é vilão por que chupa a maior parte da água existente. É bem verdade que existem tecnologias (caras, caríssimas!) que poderiam ajudar o agronegócio a necessitar de menos água para seus processos. Mas, para isso ocorrer, a solução deveria vir de um investimento na área de pesquisa e desenvolvimento... Saca? Órgãos como a Embrapa! Coisa de político, entende? Aprendi na FATEC que uma planta precisa consumir de 350 a 700 litros de água para produzir o equivalente a 1000 gramas de matéria seca. Vai vendo! A fisiologia da bichinha exige isso! Ou seja, malditas plantas exploradoras do solo proletário que precisam de tanta água e fazem com que homens se tornem abutres capitalistas! Ainda nessa linha, desprezou-se no cálculo que 30% da água que é tratada perde-se as tubulações, mas não vem ao caso... O barato é mirar nos burgueses!

Agora... A segunda aberração é mais exótica! Partiram de um dado do IBGE, segundo o qual, 70% do alimento colocado no prato dos brasileiros é produzido pela Agricultura Familiar. Mano... Você come, por baixo, 220 quilos de arroz por ano! E Arroz consome água bragaraaaio!! Tem mais de 200 milhões de indivíduos nesse país... Faz a conta! Haja agricultura familiar! Tem mais! O leitinho Ades, o Todinho e outras frescuras da mesa (por que nem todo mundo é descolado como essa galera que só consome produto oriundo da agricultura familiar!), vem de onde? Aliás! Tudo o que está na mesa, nas lanchonetes, padarias, etc, vem, seja do Agronegócio (que não é só pra movimentar bolsa de valores coisa nenhuma!), seja da Agricultura Familiar! E ainda assim, não é suficiente por que a gente come muiiito! E ainda tem outro argumento contra essa conversa fiada de intelectual preguiçoso e sem coragem para produzir algo melhor do que ideologias rasas e pensamentos sem valor. O objetivo na imagem postada por Zé Maria é "denunciar" um desequilíbrio entre os incentivos ao Agronegócio (coisa do satã), na casa dos 150 bilhões contra os 20 bilhões para a Agricultura Familiar. Tá bom... Se invertêssemos os incentivos, a agricultura familiar necessitaria de menos água para produzir o necessário ao consumo brasileiro?

O problema da falta de água é político, nada mais simples do que isso! Água é algo que se tem em abundância em um período e falta em outros. Como tantas outras coisas, é um problema que pode ser monitorado e, sobretudo, prevenido! Já ocorreu antes, ocorre agora e voltará a ocorrer em outro momento na história. Essa falácia de jogar a culpa sobre um grupo por que consome muito mais água do que outro é só falta de trabalho produtivo de verdade para as pessoas que pensam assim. Sabe como os verdadeiros culpados irão solucionar esse problema? Aumentando a tarifa da água! Este grupo, sim, é o verdadeiro culpado por que a prerrogativa de gerir e distribuir os recursos é dele. Antes de colocar a culpa da falta de água em São Pedro, Coelhinho da Páscoa, Natureza, os bandidos do Agronegócio, no vizinho que lava carro todo dia, pense bem... Não é só a água disponível que necessita ser administrada com competência e você delega a esse grupo a responsabilidade de pensar e agir por você. Tem país que já sente falta até de papel higiênico, vai vendo pra onde isso leva!

11 comentários:

  1. Só um retardado como esse que não tem nada pra acrescentar agride sem ser provocado uma pessoa só por ela ter expresso sua opinião

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkk! Não preciso mencionar que você está fazendo a mesma coisa, némessm? Escuta... Você utiliza carro para se locomover? Abastece com álcool? Essa porra vem do agronegócio e consume muita água! Ah, você é dos descolados da turma do Haddad e só anda de bicicleta da Mooca até o litoral? Deve beber uma bebida isotônica de vez em quando... Pois, isso também utiliza água e as prateleiras dos mercados estão cheias. Pega uns cinquenta para tomar banho, deve ser culpa deles a seca de São Paulo. Vamos ajudar, então, a agricultura familiar! Façamos, nós mesmos, nosso molho de tomate em casa. Lógico, depois de comprar os tomates de algum agricultor familiar! E, para que tanta água nos nossos sucos industrializados? Podemos simplesmente começar a chupar a polpa, não é? Na boa, véi... Essa discussão não leva a nada e você continuará me detestando, então... Vai dar o fiofó para quem tem tempo!

      Excluir
  2. Desde os tempos de colégio, nas aulas de geografia, ouço essa história de que a agricultura é o setor que mais consome água, seguido pela indústria. No entanto, são setores essenciais. O que faremos, se eles estagnarem, por falta de água??? Ou melhor, há alternativas para que eles reduzam o consumo de água e não parem de produzir??? Os cidadãos comuns, embora não sejam os maiores consumidores de água em conjunto, eles também fazer sua parte, dentro de suas possibilidades.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu vou deixar de tomar água, lavar a louça, dar a descarga toda vez que eu fizer cocô e tomar banho para que, por exemplo, a Aracruz possa produzir mais papel e preservar os empregos dos seus funcionários.

      Larga mão de ser cretino. Não é porque você é leitor de um asno que você também precisa virar um asno.

      Excluir
    2. Não! Você o deveria fazer sua parte apenas por um mínimo de civilidade, coisa que não possui ao ponto de atacar outro leitor sem apresentar um mínimo de argumento e raciocínio. Ainda por cima recorre ao anonimato, coisa de cretino e covarde.

      Excluir
    3. Não, jegue. Não vou deixar de fazer o que eu sempre faço por causa da incompetência e voracidade de terceiros. Eles que criem vergonha na cara e arranjem uma maneira de resolver os problemas DELES. Se você realmente acha que você é o culpado pela "crise hídrica" e deseja "fazer a sua parte", então faça. Não o estou impedindo.

      Mas depois vá pegar o seu diploma de idiota.

      Excluir
    4. Não adquiri o hábito de economizar água em virtude da "crise hídrica". É uma questão de escolha como você destacou. Tenho esse hábito desde que não precisei mais buscar água à distância e aprendi como é difícil o tratamento dela até que chegue em minha torneira. Não vejo economia de água por parte das pessoas como sendo uma simples questão de fazer a minha parte, não sou beija-flor. Quanto ao seu ponto de vista "Eles", tenho certeza de que com o passar do tempo você aprenderá a ver o mundo com menos justificativas através dos outros. Sou responsável pelas minhas escolhas, certas ou erradas. Escolho não culpar "eles" e sim refletir onde "eu" sou responsável. "Eles" existem por que eu escolhi assim. Escolhi consumir, escolhi ter confortos e facilidades, escolhi viver melhor do que na Idade Média e escolhi até mesmo viver entre aqueles que não desejam a minha presença. Não deixarei de viver melhor hoje do que os reis e faraós do passado por que tenho preguiça de compreender minha existência nesse contexto. Além do mais... Se eu não concordo com o que "eles" estão fazendo, de maneira alguma vou me beneficiar aguardando que "eles" façam alguma coisa para melhorar. Também participo desse processo quando opino, assim como você... Apenas com uma diferença: eu me responsabilizo pelo que digo e assumo meu ponto de vista publicamente. Não pense que me ofende com agressões ou xingamentos, você nem tem identidade. Uma fantasia e ilusão é o que você é nesse momento. Escolha uma identidade e terá forma a sua manifestação.

      Excluir
  3. Vixi! Na boa. Você não fala palavrão com seus anônimos!!!!! O que aconteceu?

    ResponderExcluir
  4. porque essa agressividade toda pra defender mega produtores como os da soja no Brasil? Que razão pode existir para proteger essa raça de exploradores que enriquessem esgotando nosso solo e nossa água° Você recebe propina dessa gente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moça... Com todo respeito, mas umas aulas de química orgânica não lhe fariam mal! Não é à toa que a soja é tão valiosa ao ponto de figurar na Bolsa de Valores. É uma das plantas mais versáteis do nosso planeta e dela se extrai o óleo comestível para preparação de alimentos e ainda outros produtos como bebidas a base de soja, óleos, farinha, sabão, cosméticos, resinas, tintas, solventes e até biodiesel. Se acha que podemos viver sem o cultivo dessa planta, vá em frente! Crie um comitê antiprodutores de soja e encontre outros como você, dispostos a erradicar o plantio de soja da Terra... Tenho uma sugestão, que tal substituir pela Canabis? Deve ser o que muita gente anda fumando pra analisar tão pouco e falar tanta besteira na internet. Só uma coisa! Ela também consome água pra caramba!

      Excluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.