Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

Número de Bilionários diminui em 2015... Alto lá!!

Lista de Bilionários - Blog do Asno

O jornal Folha de S. Paulo, a Globo News e mais um monte de sites publicaram uma notícia, no mínimo, desprovida de Quociente Intelectual. Segundo as informações, uma organização não governamental, Oxfam, entregará um estudo nesta quarta-feira, (20), no Fórum Econômico Mundial de Davos. Segundo o estudo, que se baseia no levantamento anual da riqueza internacional realizado pelo banco Credit Suisse, a desigualdade se aprofundou nos últimos anos. A Oxfam compara os resultados dos anos de 2010, onde o número de bilionários era 388, em 2011, quando diminuiu para 177, em 2013, quando despencou para 92, em 2014, reduzido a 80 e agora 2015, quando o número de afortunados desabou para 62. A Ong quer alertar que esse número seleto de 62 bilionários concentra a riqueza que os 3,6 bilhões mais pobres do planeta, ou seja, a metade da população do mundo, dividiam conjuntamente em 2015.

Mal a notícia foi veiculada e já começaram a brotar comentários ridículos sobre a fragilidade do capitalismo com previsões até de que o sistema está em franca decadência e às margens de um colapso. Nadaverrtio!! Alto lá! Vamos devagar que o andor é de barro (feito da lama da Samarco). O Capitalismo, quando praticado de maneira saudável, é um sistema que favorece a multiplicação da riqueza em todos os níveis e, quando na contramão, conduzido por ambiciosos, irresponsáveis e psicopatas (como qualquer regime, inclusive o comunista), oscila sua escala de desigualdade. Acontece que minha curiosidade para acompanhar o levantamento realizado pelo Credit Suisse começou em 2006 quando fora anunciado o recorde de bilionários no mundo, número que chegou a 793 nomes, ou seja, mais que o dobro do número de 2010, ano utilizado como base do estudo da Oxfam. Ou a memória dos agentes da imprensa é ridícula ou seu raciocínio é seletivo e tendencioso de acordo com sua visão ideológica sobre o sistema.

O estudo da Oxfam também faz algumas considerações importantes que, se levados a sério, poderiam conduzir as nações a regulações mais coerentes sobre o mercado. Mas, em resumo, o que a Ong revela a meu ver, não são falhas no sistema capitalista e, sim, uma baita incapacidade (voluntária) dos mais diversos governos, estes, os verdadeiros culpados pela desigualdade. O número de bilionários diminuiu por que o mundo mergulhou numa crise e crises afetam muito mais aqueles que menos possuem! E, por mais que se tente convencer do contrário, crises causadas por capitalistas só acontecem com a conivência do estado que deveria se comportar como o regulador do jogo. O problema não está na concentração da riqueza. O problema não está na riqueza! Que todos possam realizar-se monetariamente, segundo seus méritos!

Esse tipo de jornalismo só empresta mais combustível para ideias tolas que geram programas sociais nada eficazes que mais promovem a inércia no autodesenvolvimento das pessoas. Indivíduos deveriam ser cada vez mais orientados para o seu próprio desenvolvimento e crescimento financeiro, jamais amparados de forma a perpetuar suas deficiências cognitivas. A pílula que o governo oferece é o conformismo, completamente em oposição ao desenvolvimento da coragem e ousadia calculada. Mas... Esperar que nossos jornalistas realmente atuem sem a contaminação ideológica e na direção de promover a discussão sóbria sobre o tema para que as pessoas pressionem seus representantes é querer muito em uma nação que daqui a pouco esquecerá suas indignações e cairá na folia.

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.