Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

Qual a contribuição das Redes Sociais para a Cidadania?

As redes sociais têm ajudado a provocar grandes revoluções no mundo todo devido a sua interface facilitar o diálogo e envolvimento entre as pessoas com os mesmos interesses, tornando-se em uma ferramenta fundamental para engajar as pessoas no exercício da cidadania... Só que não! As redes Sociais parecem-se cada vez mais com arenas virtuais onde as espadas e escudos foram trocados por dedos nervosos e insensatos a dedilhar e esfregar as lâmpadas que satisfazem a todos os desejos dos idiotas. Sim, os celulares e tablets substituíram a lâmpada mágica de Aladdin. Basta um compartilhamento ou a exibição fútil de likes e deslikes para entorpecer a espécie humana fazendo-a manter-se no seu sono eterno de ilusão. Alguém compartilha uma estupidez que seria motivo para bullying há pouco mais de duas décadas e logo um enxame de estúpidos multiplica a burrice sem a menor análise. Isso acontece no globo todo, porém parece ser mais patológico em nossa aldeia chamada Brasil.

Dentro desse contexto, Birigui não poderia se excluir. Há grupos de WhatsApp e fanpages em nosso município que poderiam contribuir valiosamente para o fortalecimento dos valores que formam a cidadania no indivíduo, mas se especializaram apenas em espalhar areia de gato no rosto das outras pessoas. Ninguém se dá ao trabalho de analisar ou compreender os fatos que por qualquer razão originaram uma notícia publicada em determinado veículo de informação e saem provocando a ira de outros mais preguiçosos ainda. Publica-se uma matéria informando sobre a compra de um veículo para uso de determinado parlamentar e lá se procriam críticas ou opiniões vazias em milhares de linhas curtas e que não contribuem nada com a sociedade. O prefeito comunica que vai deixar dívidas e outra vez se congestionam os textos de pensamento raso e avaliação xucra. Ora! O que pesa não são esses compartilhamentos bizarros e seus inúteis resultados! Onde está a reflexão de cada indivíduo quanto a essas provocações e disparates contra o verdadeiro empregador de todos os servidores públicos, políticos ou não? Quem realmente é o responsável por essa porcaria toda que nos agride incessantemente a cada dia desde a hora em que acordamos e até enquanto dormimos? Vamos deixar de hipocrisia! Já era tempo de vislumbrarmos um mínimo de despertar para a cidadania. Se as redes sociais são tão revolucionárias e esses agentes são tão civilizados ao ponto de alertar e instruir aos outros, por que estamos cada vez mais imbecis quanto a tudo que nos rodeia?

Mais de uma década se passou desde que as redes sociais passaram a fazer parte de nossas vidas. Nem tudo foi negativo, pois elas aproximaram pessoas que jamais se encontrariam em outros tempos e os negócios também foram favorecidos. Mas é evidente que um efeito colateral foi termos regressado a idade da barbárie onde o pensamento não encontra mais terreno para o debate e aprimoramento. Mesmo que o número de imbecis na internet seja muito reduzido (o que parece falso), são sempre os mais estúpidos que produzem mais barulho e contaminam toda a rede. Lembro-me de quando o grande escritor Umberto Eco foi criticado pela frase: “As redes sociais deram voz a uma legião de imbecis”. Ele ainda continuou: “Antes, eles (os imbecis) falavam apenas em um bar, depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a coletividade. Agora, têm o mesmo direito à palavra de um prêmio Nobel”. Eco estava coberto de razão! Dizem que a internet contribuiu com a democracia franqueando o acesso a espaços frequentados apenas por especialistas, com isso, favorecendo as pessoas comuns. É falso! Apenas publicar opiniões não faz das redes um espaço democrático. Democracia também pressupõe o debate de ideias, que não costuma ocorrer nesses botecos virtuais.

É aterrador constatar tanto exercício de indignação nas redes sociais, como se existíssemos nesse mundo virtual, quando onde necessitamos de ações objetivas, que é a vida real, falhamos grotescamente. Quem nunca jogou o seu lixo nas vias públicas ou descartou em lugar inapropriado, como a foto acima ilustra? Considerando, ainda, que no caso da foto há uma lixeira disposta a alguns passos de onde o lixo está descartado, em que tipo de sociedade queremos habitar? Acha pouco? Enquanto os selvagens desse mundo ainda primitivo que existe apenas nas redes sociais desperdiçam seu precioso e escasso tempo, o destino de nossas vidas continua sendo tricotado por parasitas incapazes de sobreviver sem que outros os financiem. Querem ver o quanto essa loucura de rede social é corrosiva e nos condena ao retrocesso civilizatório? Esperem até o resultado das eleições de 2018! Se não querem esperar tanto, comecem agora a fazer uma autocrítica quanto a tragédia que estamos impondo a nós mesmos.

Um comentário:

  1. Depois de alguns anos de uso da internet, me dei conta que muitas pessoas sofrem lavagem cerebral e parecem zumbis. Nunca vi tanta grosseria como na internet. Gente que não teria coragem de chamar um estranho de "idiota" a poucos centímetros, ganha toda força por esse meio. Sem contar as teorias conspiratórias de que a Terra é redonda, que vacina é um veneno e o governo não faria a "bondade" de proteger os cidadãos das doenças, dentre outras. Esses absurdos eu só encontro na internet. Posso conversar com mil pessoas cara a cara que até hoje não encontrei alguém assim. Mas por aqui? Ah, isso facilmente encontramos.

    Outra coisa que aprendi com a internet e pessoalmente, foi que o MAIOR culpado pela violência urbana, ruas sujas, SUS deficiente, excesso de burocracia e outros problemas, é o povo. Só sabe apontar o dedo pros políticos, mas é tão corrupto no dia a dia como eles. Brasileiros não têm vergonha na cara.

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.