Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

O Fim do Brasil - Sobre os polêmicos relatórios da Empiricus

O Fim do Brasil - Empiricus Research - Um Asno
Este é um artigo meio longo e provavelmente metade das pessoas que costumam ler o que registro não chegarão ao fim da leitura. Porém, há a necessidade de uma terceira ótica sobre a polêmica dos relatórios da Empiricus Research. Esta empresa ganhou notoriedade neste ano graças a estúpida manobra da coligação "Com a Força do Povo" para censurar alguns artigos publicados pela empresa e que eram veiculados na internet. A coligação obteve inicialmente êxito na censura dos artigos, mas nesta semana o bom senso da justiça foi resgatado e a liminar foi derrubada. Bom senso por que tratava-se de pura censura, uma característica de gente com pensamento totalitário. A manobra foi estúpida por que aqueles que pediram a censura não aprenderam nada com os erros históricos da Igreja Católica: acabaram popularizando aquilo que queriam calar! Nesse ponto eu acho o Lula um sábio! Ele sabe como ninguém como matar um adversário por inanição. Quando está no ataque é agressivo, violento e pouco comprometido com a verdade, mas quando é o alvo simplesmente age como se nada soubesse ou ainda melhor: cala-se como no caso do escândalo que envolve sua amante Rosemary Noronha. Se tivessem se calado muito provavelmente poucos saberiam do conteúdo do vídeo da Empiricus.

Com a desastrada manobra contra a emissão de opiniões da empresa, a Empiricus foi favorecida e teve um incremento vultuoso em sua carteira de clientes, porém isso também traz um lado negativo. Não são poucos os que se sentem ofendidos pelo que afirmam os relatórios e, portanto, a empresa terá de redobrar seus cuidados sobre as peças publicitárias e seus artigos que obviamente sofrerão retaliações. A mais recente polêmica tem a ver com um vídeo de um mês atrás compartilhado às pencas em redes sociais e intitulado "O Fim do Brasil". Trata-se não mais do que uma peça publicitária com um objetivo claro: vender os relatórios da Empiricus Research, mas a falta de criatividade da empresa em reeditar uma outra peça também distribuída em meios digitais nos Estados Unidos com o mesmo formato, não é suficiente para desqualificar o resumo do exame apresentado aos possíveis clientes. Para melhor embasamento vou disponibilizar cada um dos vídeos que estão sendo utilizados, favorável e contrariamente, para que cada um decida por si apenas e não pela interferência de pessoas alheias ao universo paralelo que é o da Bolsa de Valores. É a primeira vez que falarei dos Touros e Ursos! Quem já leu "Os Mercadores da Noite" já sabe do que estou falando. Quem não tiver a paciência de assistir ao vídeo pode ler o artigo neste link (aqui). O primeiro vídeo é o centro da polêmica e é um saco por que se focaram tanto na estratégia de assustar para vender que a peça se tornou extensa demais! Porém, é preciso que se assista na íntegra cada um deles para se formar um juízo mais assertivo.



Muito bem! É uma peça produzida para vender e cumpre bem o seu papel, apesar do estúpido comprimento do vídeo completamente fora do padrão brasileiro de atenção em mídias digitais! Mas, quem realmente apresentou qualquer argumento que seja para rebater as análises que foram pontuais, sim, a respeito da conjuntura econômica dos últimos anos. Qualquer leigo irá reconhecer que no Brasil foram adotadas medidas que reeditavam velhos e superados erros do nosso recente passado. Refiro-me a nova Matriz Econômica que indubitavelmente colocou a nação em rota de risco. Não necessariamente o fatalismo pregado no vídeo por que isso dependeria de muitos fatores ainda e essa ciência está longe de ser exata. Muitas coisas podem acontecer e derrubar os prognósticos futuros da Empiricus no ralo. Isso fica mais para o final. Contra esse vídeo, outro canal, o Brasil Informado disponibilizou este que vai abaixo:


Eu realmente esperava uma análise sobre o relatório da Empiricus, mas o autor do vídeo se limitou a apresentar três links que eu aproveitarei para comentar. O primeiro trata-se de um desafio no portal IG e pode ser acessado neste link. O autor do vídeo do canal "Brasil Informado" sugere que o mesmo deve ser assistido até o final por que rolaria uma "treta". Uma rasa análise do vídeo me conduziria rapidamente a buscar a orientação da super sóbria, ponderada e conservadora sócia da Kodja & Company Investimentos, Cláudia Kodja, que poderia me convencer por seu comedimento que "o investidor pessoa física está totalmente despreparado para ingressar no mercado de ações". Em parte eu concordo com ela mesmo!! Do outro lado o que vemos é o pivete abusado e sócio-analista da Empiricus Research e também parceiro do Investmania, Rodolfo Amstalden, defendendo que não é preciso ter ferramentas para entrar no mercado de ações. Sua argumentação é tão destituída de glamour conferido apenas pelas láureas acadêmicas que de cara eu repudiaria sua orientação. Porém, os dois estão mais ou menos certos quando o negócio é Bolsa de Valores. A tal "treta" mencionada pelo autor do vídeo talvez seja a pergunta que Amstalden jogou para provocar a senhora Kodja: "A senhora entende de bolsa?". Ora! Se a mesma pergunta fosse dirigida a qualquer dos megaespeculadores como Warren Buffet, Donald Trump, entre outros a resposta seria categórica: NÃO!!! Ninguém, mesmo com acúmulo de centenas de artigos publicados, décadas de pregão, estantes inteiras de livros sobre mercado de ações, etc, poderia afirmar que entende de Bolsa!

O que se pode extrair do vídeo acima é primário. Se eu quiser rendimentos mais ou menos seguros e com rentabilidade moderada devo mesmo procurar operadores como a senhora Claudia Kodja, mas se pretendo me tornar bilionário no mercado de ações é justamente a postura do pivete atrevido, Rodolfo Amstalden, que devo desenvolver em mim. Acontece que não tenho a postura agressiva e predadora de Amstalden. Sou muito covarde para isso. Tanto Kodja e Amstalden já colecionam vários êxitos e fracassos na Bolsa. E ainda terão muitos êxitos e fracassos, mas a chance do pivete se tornar um grande especulador um dia ainda é maior do que a da senhora Kodja que ganhará muito dinheiro vendendo suas análises para os investidores, mas jamais deixará de ser uma operária do pregão. Nenhum dos dois está errado. Trata-se apenas de uma escolha de postura no mercado de ações e tem a ver com as ambições individuais de cada um. Dessa forma, dependendo do que uma pessoa como eu estivesse procurando nesse mercado, poderia se optar pela orientação de um ou de outro. É claro que não se pode afirmar que os gigantes do mercado tenham conseguido chegar a certo patamar sem contar com o privilégio da informação bem filtrada pelo feeling que cada um dispõe. Mas, o pivete também tem razão quando afirma que a maioria dos livros que discorrem sobre o assunto mais atrapalham do que ajudam.

O segundo link sugerido pelo canal Brasil Informado trata-se de uma peça de igual teor compartilhada nos EUA com o título "Porter Stansberry Research - The End of America". Neste ponto o autor do vídeo comete um erro ao sugerir que não é necessário avançar mais do que o primeiro minuto do mesmo. Embora a peça seja produzida nos mesmos moldes que a Empiricus reeditou traz diferenças que não devem ser ignoradas. Outro ponto importante é o fato de o vídeo ser produzido por um associado da Empiricus, logo, a semelhança na estratégia adotada não serviria para invalidar o exame contido no "Fim do Brasil" apenas pela falta de criatividade no lançamento da peça de marketing. No vídeo de Stansberry são dispostos argumentos do exame para a América e, como no caso da cópia brasileira, os argumentos também são uma coletânea do óbvio com prognósticos catastrofistas para vender relatórios!

Onde estão os argumentos que derrubariam a análise feita por Stansberry? Onde se encontram os argumentos que desmoralizariam as análises da Empiricus? Não existem de fato por que tratam de coisas óbvias e já ocorridas. O problema realmente encontra-se nos prognósticos de ambos os vídeos que, repito, não passam de peças publicitárias com objetivo de vender serviços dos analistas. Ainda assim, isso não desmerece o trabalho analítico, técnico e rigorosamente útil para quem se interessa pelo mercado de ações. Decisões precisam mesmo ser tomadas analisando esses relatórios e, cá para nós, o valor cobrado é irrisório, frente ao benefício que pode trazer ao bom garimpador de informações. O investidor de verdade sabe muito bem que suas decisões são amparadas por esse tipo de relatório, mas nunca conduzidas por eles!

O último link sugerido pelo Brasil Informado pode ser acessado clicando aqui. Trata-se do tal segredo que Felipe Miranda, autor do primeiro vídeo do post, promete revelar apenas aos seus assinantes como forma de garantir um expressivo ganho durante a crise que estaríamos vivendo. Ora! Basta ler o artigo e mais uma vez vislumbrar o óbvio! Quem discorda que possuir terras produtivas, imóveis com os quais se pode alavancar capital e propriedades agrícolas não seja, de fato, o melhor investimento financeiro? De novo! É uma peça publicitária, cuja finalidade é vender os serviços da Empiricus! Mas qual é o problema, de fato, para se gerar tanta polêmica à respeito dos prognósticos realizados pela referida empresa? Bom, primeiro, o maior problema são as críticas diretas ao rumo adotado pelas equipes econômicas que vem sendo seguido nos últimos anos pós Plano Real. As decisões econômicas criticadas no vídeo realmente foram desastradas e descuidamos completamente dos fatores que poderiam realmente produzir mais renda e riqueza na nação, ou seja, um verdadeiro modelo social de distribuição de renda e não o que temos atualmente. Contra a Matemática não existem argumentos! Não são fantasias os números apresentados pela Empíricus! O pecado do vídeo talvez se concentre ainda mais no tom de catástrofe que é a cereja do bolo pra forçar a compra dos relatórios da empresa.

Eu sei que a coisa está ruim e pode piorar dramaticamente nos próximos meses podendo se estender até o final de 2017. Aposto, sem medo de errar, na queda dos preços do mercado imobiliário brasileiro. Sinto "nas pregas" o impacto sobre a indústria que começa a derrete-la por aqui e poderá se estender ao resto do país em breve período se nada for feito para impedir tal tragédia. O cenário está péssimo, sim, e a maioria das pessoas ainda passeia embriagada por uma propaganda marqueteira governista que não passa de fumaça nos olhos dos brasileiros. O Brasil maravilhoso sempre existiu mesmo foi na propaganda do governo... De todos os governos! Contudo... Isso nem beira a catástrofe prognosticada pela Empiricus!

Muita coisa no horizonte pode derrubar a previsão da Empiricus e muita coisa pode reforçar sua audiência após ser confirmada, mas nem deveria ser esse o ponto de polêmica. A Empiricus lançou uma peça de marketing com um bom resumo do que seu trabalho pode servir aos seus assinantes. Seus relatórios são pontuais, bem precisos e muito, mas, muito detalhados! Contém erros de análise... muito raramente! Podem conter erros nas previsões? Com certeza!!! Vão errar e acertar muito, como qualquer empresa que venda sugestões para investidores. Isso sempre foi desse modo! Não conheço um único histórico de empresa que sempre acerta quanto a orientações para o mercado de ações. No caso dos vários "X" do Eike Batista mesmo qual foi a consultoria que antecipou a merda que daria na Bolsa, hein?? Por outro lado, muitos acertaram quanto a Petrobras e Eletrobras, mas nestes últimos exemplos era fácil até para quem não entende nada de Bolsa.

Para encerrar
Se me perguntassem qual seria o cenário provável para 2015 até 2017 eu teria inteligência suficiente para afirmar: EU NÃO SEI. Há coisas em que aposto meus dedos por que são óbvias, certezas matemáticas, mas quanto ao resto, não faço a mínima ideia! A Estatística, neste caso, não é uma ferramenta na qual depositaria toda minha convicção. O vídeo da Empiricus tem sua utilidade sim! Apesar de ser uma longa peça de marketing, tem argumentos sérios que devem ser levados em consideração. A decisão de comprar, ou não, os relatórios da empresa caberá a quem se identificar com a proposta do vídeo. Confesso que eu mesmo assinaria para receber os boletins periódicos, mas sabem como é... sou da Classe Média brasileira e não me sobra capital suficiente para tal regalia! Não acredito em catástrofe no Brasil ao ponto de nos tornarmos Venezuela, Argentina ou Cuba! Sei que ainda resta um fio de bom senso nas instituições democráticas que ainda mantém esse pais de pé. Mas, não discordo que exista um espectro muito negativo pairando sobre a economia do país. Também não sou cretino ao ponto de ignorar que os empresários são responsáveis por boa parte da culpa que recai apenas sobre o governo. Porém... Ainda resta tempo para reagir!

8 comentários:

  1. #NãoSomosJegues23 agosto, 2014 17:52

    Só um completo jegue para levar a sério essas "pesquisas"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kkkkk. Pior é chegar hoje, 15/fev/2016 e ver que o cara da empiricus não errou UMA previsão sequer. Pelo contrário... Tem umas que ele foi até otimista demais! Rindo alto da minha própria cara por ter nascido em um pais patético como esse aqui...

      Excluir
  2. Estava procurando uma opinião equilibrada acerca do dito relatório e foi o que encontrei aqui. Parabéns pela lucidez e obrigado pelo esclarecimento.

    ResponderExcluir
  3. Não foi essa empiricus que recomendou outra vez investir em ações das empresas do Eike Batista?

    I rest my case, jackass!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Engraçado pq eles acertaram... Se vc ler, eles recomendaram o investimento para os meses seguintes apenas...

      Excluir
  4. Excelente artigo desta publicação. Mas há algo que precisa ser ___________________: Mercado de Capitais é mais que Universo Paralelo, pois é "universo concorrente". Todos sabemos o que pode fazer uma "especulação", principalmente quando há interesses de grupos. E olha que os "interesses" a partir da Crise de 2008, estão pretendendo saciar-se muito além da 'QUEBRADEIRA DA INSLÂNDIA", Portugal, Espanha e Grécia (só pra falar dos amigos). Profissionais de "mercado especulativo", só servem para grupos de interesse especulativo. Por que ninguém sublinha que a Petrobrás tem, no Mercado, mais de 7 bilhões de ações, e o que isso representa? A quebradeira na Inslândia, de cerca de U$ 100 bilhões, praticamente em uma semana e através de 3 bancos, por si só dá indícios de a quem interessa o "jogo de mercado", pra cima e pra baixo. Aceitar a fórmula "especulativa" de Mercado, divinizando o Capital, é bem mais cômodo para quem não está preocupado com a água para todos os paulistas.... Convenhamos.

    ResponderExcluir
  5. Pois é, 2015...2017 você diz 'EU NÃO SEI COMO VAI SER'.

    Aqueles que venderam imóveis em julho de 2014 e compraram dólares acreditando nas análises da Empiricus (que basicamente previu a alta do dólar), teve um retorno de 50 % do valor investido.
    A queda do preço dos imóveis é maior do que o divulgado.
    Quem comprou dólar a 2,20 hoje está rindo para as paredes.
    É por isso que existem analistas e 'analistas'.

    ResponderExcluir
  6. Hoje, novembro de 2016, provou-se que eles foram até otimistas. O Brasil faliu!

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.