Rádio Na Pior

Últimos Artigos
recent

Alerta aos eleitores quanto ao Voto Nulo

Voto Nulo - Blog do Asno
Antes de prosseguir, também não concordo com o Sistema Eleitoral vigente no país e também sou favorável ao voto facultativo, ou seja, não obrigatório. Acontece que as regras são as que estão aí e quase nada podemos fazer para mudá-las no momento. Digo quase nada porque faço parte do movimento pelo Voto Distrital desde 2012 e até o momento não conseguimos nem 250 mil assinaturas. Sou ativista contra o voto inválido e já escrevi muito a respeito do Voto Nulo, Quociente Eleitoral e Quociente Partidário. Mas! Nunca é o suficiente! Voltemos aquele exemplo que já utilizei com aquela cidadezinha hipotética com 81.970 eleitores (qualquer semelhança com Birigui será pura realidade!). Nesse caso, hipotético, o histórico das eleições demonstra que aproximadamente 15% do eleitorado costuma invalidar seu voto, seja não comparecendo, votando nulo ou em branco. Desse modo, ao invés dos 81.970 votos válidos para contabilização, seriam considerados apenas 69.675. Isso nos conduz ao seguinte cenário: se os 81.970 votos fossem válidos, o quociente eleitoral (quantidade de votos necessários para se assumir uma vaga na Câmara Municipal) seria de 4.821 votos, mas se os 15% entrarem em ação, cairia para 4.098. Qual é o problema, afinal?

O problema é que, como a maioria dos candidatos nunca é capaz de atingir o Quociente Eleitoral, ou seja, os 4.821 votos, entra em cena uma bruxaria matemática chamada Quociente Partidário. E é, principalmente, por essa razão que muitos candidatos que não seriam eleitos nem para secretário de CIPA acabam superando outros com votação muito maior. É por isso que candidatos que recebem mais de 1.000 votos perdem para outros com menos de 500! Aí você pergunta: "Iukiko?". O que nós temos com isso é que os mais de 30 partidos sacanas que existem no nosso país se aproveitam dessa brecha para colocarem os seus candidatos naquelas vagas e não os candidatos escolhidos pela população... Sacou? Os partidos políticos, d e maneira inteligente, encontraram uma maneira de tirar vantagem da ignorância dos eleitores. E os retardados que fazem campanha a favor do Voto Nulo?

Bom... Existem três situações! Há gente que faz propaganda pelo Voto de "Protesto" por que desconhece a própria legislação eleitoral ou por pura preguiça de ler um texto na sua íntegra. Muitos até se esforçam para conhecer o texto integral, mas são incapazes de interpretá-lo e criam uma baita confusão porque se confundem com uma palavra ou outra. Nesse caso é incapacidade cognitiva (são lesados!). Uma segunda circunstância envolve aqueles que não confiam no sistema eleitoral e já perceberam a tramoia feita para nos conduzir sempre aos mesmos resultados. Nesse caso não há diferença alguma entre este e o primeiro grupo! Afinal, todos conseguem se engajar, participar e compartilhar coisas inúteis, mas esforço algum faz em para descobrir o que fazer, de fato, e optam pelo caminho mais fácil (e errado!). Existe ainda um grupo organizado, bem definido e coordenado para favorecer uma espécie de boicote ao processo eleitoral a fim de facilitar o acesso dos pilantras nas vagas do pod er. Promovem campanhas contra o Sistema Eleitoral conscientes de que desse modo ele não mudará para justamente favorecer o acesso de bandidos ao legislativo e executivo. Não está convencido? Espia só!

Primeiro ponto: Todo pilantra sabe que, em geral, somos contra o processo eleitoral, justamente por que é obrigatório. Segundo: Todo canalha sabe que eleitor vota movido por emoções e não por razão e por isso os pleitos são sempre arquitetados por grupos políticos (não partidos) de maneira que haja dois antagonistas e alguns idiotas úteis para roubar votos de um ou de outro. Numa eleição majoritária (cargos do executivo), por exemplo, podem existir quatro candidatos, o Tenebroso, o  Nem Fudeno, o Meia Boca e o Menos Pior. As pessoas podem se identificar com o Menos Pior, mas desacreditam que ele seja capaz de ganhar. Nesse caso, elas se borram de medo que o Tenebroso ganhe e percebem que o jeito é votar no Nem Fudeno para tirar a vitória do outro. As pessoas que se identificam com o Meia Boca podem pensar a mesma coisa quanto ao Nem Fudeno e temendo por sua vitória votam no Tenebroso. A confusão está feita! Na realidade há outras combinações possíveis, mas o resultado é sempre um candidato que não é eleito pela maioria ocupando o cargo e está tudo certo! Observem os resultados das últimas quatorze eleições.

Se as pessoas que se engajam para o Voto Nulo emprestassem um pouco do seu esforço para que mudássemos o sistema eleitoral e eliminássemos a obrigatoriedade do voto já teríamos alterado o rumo das eleições. É muito engajamento para que as coisas nunca mudem! Não concorda com o processo eleitoral como está, promova um projeto popular de lei (previsto na Constituição) e conscientize a todos da importância de mudarmos o sistema e não um boicote que nunca dará em nada. Se você é contra alguma coisa, seja útil ao seu país e proponha algo melhor no lugar dessa coisa. Boicotes burros como ess e é como promover um boicote contra a Coca-Cola. Não vai falir a empresa, apenas fará com que ela adquira outras empresas e aumente sua participação em produtos não boicotados. Você não conseguirá viver boicotando a todos os produtos que uma hora terá de consumir! Não dá pra viver só de horta orgânica hoje!

Por quatro anos as pessoas vivem a criticar e reclamar dos políticos eleitos e quando os confrontamos por causa da sua responsabilidade na eleição dos canalhas eles batem no peito e gritam: "Não votei em ninguém! Não sou responsável por essa merda!". Pelo contrário, Zé Ruela! É justamente por isso que você é responsável. Nada fez para mudar o sistema eleitoral e ainda contribuiu para facilitar a vida dos pilantras que chegam ao poder sem o voto da maioria.

2 comentários:

  1. Quer dizer que se eu tivesse votado no candidato Fulano Silva, em vez de branco ou nulo, eu teria contribuído pro sistema eleitoral? Quem me garante que o Fulano Silva faria alguma coisa pelos eleitores?
    Não sei por que é tão difícil pros outros perceberem que não importa quem vença uma eleição. Todos ali estão no cargo para benefício próprio. A corrupção política começa no povo que já faz artimanhas no dia a dia como jogar lixo solto na rua, subornar quem ele puder, fazer "gato" de conexão à internet, de energia e de tudo mais o que for possível, e assim por diante.
    O mal político não será solucionado votando no candidato A, B, C, D.... Anular o voto ou votar em branco, ao mesmo tempo que favorece os possíveis vencedores, mostra que o votante está insatisfeito com o que tem à disposição.
    Resolve alguma coisa? Não, mas também não dá voto pra nenhum candidato. É melhor *diminuir o número de candidatos(e os votos inválidos contribuem pra isso) do que votar no Zé Fulano só pra diminuir as chances daquele que está liderando nas pesquisas.
    E como diminui? Se o candidato D sabe que não tem a mínima chance de vencer uma eleição, ele não vai se candidatar, o que se traduz como menos gastos públicos, menos dinheiro de campanha, menos sujeira nas ruas, menos perda de tempo em espaço no rádio e TV e mais concentração apenas no candidato A ou B. Mais facilidade de cobrar ações dos líderes.

    ResponderExcluir
  2. A única forma de reduzir gastos com campanhas eleitorais é com o voto distrital. O resto responderei em artigo.

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.