Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

O "do poste" atacou de novo. E aí... Não vai ter compartilhamento?

Menor foi espancado e preso ao poste - Um Asno
O menor que se tornou celebridade nos discursos farinha-com-açúcar dos que se autointitulam progressistas voltou a ser detido após o episódio em que foi espancado e amarrado a um poste no bairro Flamengo no Rio de Janeiro. Dessa vez o herói dos discursos das causas sociais estava atacando e roubando turistas na praia. A estranha fauna de gente que não sabe o que fazer com esse tipo de bandido, mas também não permite que nada seja feito, não voltou a ocupar as tribunas para falar do caso. Deve ser porque dessa vez o experiente pilantra foi mais esperto e já soltou um "eu sou o do poste" para ter seu corpo preservado de agressões. Funcionou! Ninguém colocou a mão nele. Mas... Tem uma coisa... Por mais que o caso do poste tenha sido tratado como algo inédito e também tenha o componente de que foi atribuído a um grupo de justiceiros e ainda, tem gente afirmando que foi por causa da Sheherazade, reações da sociedade contra bandidos que são flagrados são mais antigas que Fusca! Recordo-me do extinto programa do SBT, Aqui e Agora, onde eram reproduzidas cenas dessa natureza quase que diariamente. Mas, ainda não existia o Faciobuquio para compartilhar.

Agora aparecem com mais frequência graças a internet. Recentemente em Itajaí, Santa Catarina, outro camarada foi espancado e amarrado a um poste como podem ver na foto abaixo. Mas, há diferenças! O branquelo (branquelo eu posso falar, némessm? Ninguém vai me processar por isso!) tem 26 anos, portanto não cabe em discurso progressista e também sua cor não ajuda nas falácias de ativistas. Queria ver a deputada Benedita da Silva (PT-RJ) sair em defesa desse aí, afinal, pobre e desassistido ele também deve ser... Ou não! Olha a cara do coitadinho:
Malandro amarrado ao poste em Itajaí-SC - Um Asno

Ah, não! essa foto não faz justiça! Que tal essa outra:
Malandro amarrado ao poste em Itajaí-SC - Um Asno
Assim tá melhor, né? Branco pode apanhar e ser amarrado ao poste. Para ele não há levante de abraçadores de causa social! Mas, esperem! Tem mais:
Malandro amarrado ao poste em Goiânia-GO - Um Asno

Esse aí de cima, amarrado em Goiânia-GO, está no meio termo. Nem é branquelo e nem afrodescendente... Ah! E também é "dimenor"! Não vai acontecer nenhuma manifestação nas redes sociais e nas tribunas dos parlamentares? Não amealha voto, não é mesmo? Hipocrisia! Seja qual for a cor do abestado que prefere recorrer ao banditismo, seja qual for a idade do animal que se deixa seduzir pelas veredas da excitação causada pelo prejuízo imposto aos outros, há que ter resposta dura da sociedade! Não falo de espancar e amarrar em poste, embora nossa constituição permita que cidadãos comuns efetuem prisões. Falo de pressionar para que o estado reaja de maneira preventiva e corretiva nesses casos. O que não pode perdurar é essa inércia de uma sociedade travada por discursos. A sociedade não pode aceitar que valores previamente convencionados sejam violentados e justificados por meros discursos. Tem especialista demais para justificar a violência contra a sociedade e atitudes de menos para protegê-la contra seus agressores.

Tem muito político engrossando sua carteira de votos defendendo a conversa mole de que pobreza e miséria são as motoras da violência e de tudo o que é antissocial. Besteira! Quem defende essas ideias pouco conhece a verdadeira miséria ou pobreza de fato e principalmente os fatores que levam um indivíduo a estar ou ser pobre. Tem muita diferença entre os dois! E são os pobres que, na maioria, tem maiores preocupações com valores e com a moral. São os pobres que, na maioria, lutam para nunca serem devedores de espécie nenhuma a sociedade. Na quarta-feira passada a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), muito branda por sinal, que reduziria a maioridade penal para 16 anos, proposta pelo senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), foi rejeitada pela Comissão de Justiça do Senado.

Afirmo que a proposta é muito branda por que restringe aos crimes de terrorismo, tortura, tráfico de ilícitos e entorpecentes e hediondos - homicídios praticados por grupos de extermínio, latrocínio (roubo seguido de morte), extorsão com morte ou mediante sequestro, estupro, entre outros. Os "pequenos delitos" não se enquadram nesta proposta, senão nos casos de múltipla reincidência na prática de lesão corporal grave ou roubo qualificado. O líder do PT, Humberto Costa (PE), por exemplo, orientou o parlamentares do partido a votar contra a proposta, o que foi seguido pela senadora e ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann (PT-PR). Houve argumentação de que a redução da maioridade não vai resolver o problema porque no Brasil hoje a responsabilidade penal ocorre a partir dos 12 anos. Essa responsabilidade é executada por meio de medidas socioeducativas e tem o objetivo de ajudar o infrator a recomeçar e a prepará-lo para uma vida adulta. Conversa fiada! Onde é que o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), realmente tem sido eficaz nesta preparação do "dimenor" para uma vida adulta, senão no garantismo de que ele pode continuar a violar a lei porque é intocável.
Em meus tempos (curtos) como educador, aprendi que se educa com o exemplo, o modelo, jamais com o preceito ou o discurso. É onde todos nós, pais e professores, falhamos! Todos nós somos muito bons em dar conselhos, mas pouco ou nada eficientes para servir como modelos. A péssima realidade que temos existe porque somos apáticos e elegemos pessoas muito mais comprometidas com suas prioridades pessoais e partidárias e nada interessadas em realmente o que se quer e precisa deles. Para nós o que eles têm para oferecer é apenas o discurso mesmo. Querem acabar com a violência e agressividade dos "dimenores", comecem por extinguir os modelos violentos e agressivos que eles passam a venerar, seja na TV ou no lar. Tem um vídeo que eu quero compartilhar com outros. É uma compilação rápida de algumas barbaridades que vale a pena refletir. Volto em seguida.


Encerro
E aí, gostou! Você também é daqueles que acham que o capitão Virgolino, o Lampião contemporâneo, do início do vídeo é uma singela vítima da violência? Coitado... Os pais morreram brutalmente! Só se descaminhou por que só conheceu a violência em sua vida! A Suzane Von Richtofen nasceu em berço esplêndido e mesmo assim está atrás das grades por que mandou assassinar os próprios pais! Meu pai teve uma morte absurda e injustificável, daí que vou me revoltar e criar um blog para provocar os instintos mais primitivos dos progressistas! Tenham paciência! Um viciado escolhe arruinar a sua vida e a das pessoas que estão a sua volta. Ele precisa de tratamento? Nada! O que ele precisa é de um trabalho duro para ressarcir e compensar a todos que prejudicou. Um animal que escolhe a "vida loka" precisa de compreensão e de ressocialização? De jeito nenhum! Precisa é trabalhar duro para pagar pela sua estadia em nossas maravilhosas celas (para eles é maravilhosa, sim! Queriam apartamentos, mesmo sendo criminosos, então que estudassem e virassem mensaleiros pra poder pedir doações a militantes dementes), e ainda restituir cada centavo que custou a suas vítimas.

E nada de ter remuneração por cada dia trabalhado! Se quisessem remuneração pelo trabalho teriam optado pelo registro em carteira como o faz a maioria do povo pobre e digno desse país. Não! Jamais vou defender bandido. O dia que isso acontecer é porque já se tornou muito mais vantajoso ser criminoso que cidadão honesto no Brasil. E olha que com essa conversa mole de "progressismo" não estamos muito distantes disso! E nem adianta ameaçar por que ameaça pra mim é combustível. E as cenas de violência contra professores também no vídeo? A qual conclusão podemos chegar? Em um dos episódios a mãe do aluno agressor aparece chocada por ver seu filho naquelas condições! Ah, é! Deveria estar chocada mesmo por parir um troglodita daqueles. Professores erram ou exageram? Claro que sim! E há modos adequados de reagir a isso. Se "crianças" recorrem ao expediente da violência contra seus professores é por que o modelo de disciplina e hierarquia já fracassou desde o lar.

Sábado minha filha mais nova participou de um projeto promovido pela Secretaria de Educação Estadual. O tema foi o Bulliyng. Brilhante, mas inócuo! Como tudo que vem enlatado dos EUA e vira política social sem a menor reflexão de nossos especialistas. Nem vou me estender nesse assunto por que sei que alguém vai me jogar aos leões e terei de voltar a ele. Há esforços de muitas administrações para ocupar a juventude de maneira que não seja seduzida pela meio infrator. Espia só! Nossa cidade abriu mais de 1200 vagas com diversas modalidades culturais para atrair a juventude. Tem de tudo, até uns tais esportes e danças alternativas! Em absoluto! Não tenho nada contra o Hip Hop, o Grafite, ou Skate, etc. Mas falta uma pitada de provocação: "Gosta de skate? Que tal experimentar também o xadrez?", "Gosta de Street Dance, que tal experimentar também a dança de salão, o jazz e, quem sabe, até a literatura?". Ler um livro também é realizar uma dança com as ideias. Não gosta de ler? Ótimo! Sempre haverão espaços onde sua mão de obra será muito bem apreciada.

O meio em que vivemos pode catalisar, o bullying pode acender o pavio, mas nenhum dos dois jamais cria psicopatas! Crianças que crescem em meios violentos e pouco sadios para a formação de um indivíduo íntegro, mas que não possuem o apreço ao desvio de conduta, questionam sua própria realidade. Cometem erros, sim, mas encontram sua própria rota e se afastam da podridão. Porcos sempre serão porcos, ainda que habitem coberturas luxuosíssimas! O fato de ricos não fazerem arrastões não quer dizer que não tenham inclinações para a iniquidade. Trata-se, como direi, apenas de sofisticação e refinamento, mas a barbárie está mesmo dentro de sua natureza. Deem condições iguais de desenvolvimento aos pobres e verão uma sociedade mais justa. E não estou falando só de distribuição de renda e escolas (estas ainda estão longe de melhorar a sociedade). Falo de uma economia sólida e dinâmica que permita surgir novas contribuições de onde menos se espera. Continuo perguntando: onde estão nossos prêmios Nobel? O Lula não vale, gente...

Agora virou moda falar sobre bullying nas escolas. Ora, porque? Por que a fábrica de psicopatas chamada Estados Unidos disse que não é legal? Quem nunca sofreu bullying não tem competência pra falar sobre o assunto e numa plateia dificilmente haverá menos da metade dos espectadores que não tenha sofrido ou cometido bullying. Isso é mais velho que Karmann Ghia! Depois de ter sido chamado de reacionário nojento por defender a redução da maioridade penal, depois de ver o quanto progredimos nos últimos anos quanto a esse fator e, ainda, depois de assistir ao cúmulo de termos pessoas que escolhem o vício serem premiadas e terem mais privilégios que o trabalhador e pagador de impostos comum, percebi que não sou eu um reacionário, esse país que é progressista demais!

Especialistas, cheirem menos pó, fumem menos erva e vão encarar a dura rotina dos que são os verdadeiros pobres desse país e que levantam cedo todos os dias para mantê-lo funcionando. O que vocês pensam que sabem sobre a miséria pode preencher centenas de páginas de livros e artigos, mas não alcança e nem afeta um único miserável de fato. Não somos todos vítimas e nem vilões!

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.