Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

Você é a favor da Reforma Política? Resposta: Qual delas?

Vapor da Ilusão - Um Asno
Todo partido político, agremiação, associação de pessoas, facção, etc, tem em seu meio indivíduos com vocação e intenções das mais elevadas, mas carregam também os espertos aproveitadores, os oportunistas e os manipuladores. Estes escondem suas reais intenções em uma ilusão de bondade. Meu tio me informou que neste final de semana assinou um documento na igreja em favor da Reforma Política no Brasil. Eu lhe fiz duas perguntas: por que ele havia assinado e a qual das propostas para reforma política que estão paralisadas no congresso se referia o documento. A primeira resposta foi até em tom jocoso: "é lógico que é para acabar com a corrupção, ora!". Mas a segunda ele não soube me responder. Na verdade nem havia lido o documento, bastou que para isso o padre lhe dissesse que se tratava de um documento para reunir assinaturas e com isso viabilizar a proposta de reforma política no país e acabar com a corrupção. Bom, não sei se de fato existe mais alguma iniciativa nesse sentido, mas sei que o Partido dos Trabalhadores (PT) tem realizado campanha desde o ano passado para recolher 1,5 milhão de assinaturas para impor sua proposta no estilo GA (Goela Abaixo). Sei também que a partir do próximo mês será lançado um novo reforço para a campanha.

A questão é: de que maneira a proposta petista pretende acabar com a corrupção? E a resposta é... Não sabem realmente como, então apelam para o socorro da sociedade civil para criar um regime totalitarista onde possam excluir os adversários que os atrapalham (interprete-se, qualquer um que pense de maneira diferente deles)! Como, de fato, os defensores da proposta pretendem "mudar os rumos das eleições no país"? Como esta proposta vai impedir lambanças administrativas como temos visto nos últimos anos? Como a proposta irá fazer com que o dinheiro público seja melhor aplicado na saúde, por exemplo? A resposta a todas a questões anteriores é que a proposta não responde a estas perguntas! Ao contrário! Há coisas que apenas fortalecerão a corrupção. A corrupção existe desde que o homem passou a se organizar em grupos. Não foi introduzida pelo PT ou qualquer outro partido de nosso país. Só a vemos com mais frequência por causa da internet, mas seu volume nem cresceu, nem diminuiu. E não é com o que se pretende propor que ela será minimizada!

Sou um dos maiores interessados na Reforma Política e desde sua primeira menção no Parlamento após a Assembleia Constituinte de 1988, um dos primeiros a se manifestar favorável. Defendo, por exemplo, o Voto Distrital, essa sim, uma forma de baratear as campanhas, mas que não interessa aos partidos por que fortalece aos indivíduos e não as legendas. Li algumas das propostas que já existiam no congresso, mas no último ano dediquei especial atenção a proposta do PT porque, na maior parte do documento, ela não difere de outras propostas que já existem, mas tem quatro itens que merecem uma reflexão. Já afirmei nesse blog que considero o PT o único partido capaz de reunir militância suficiente para impor qualquer opinião sobre as demais. É mais do que um partido político, é quase uma profissão de fé! Não vejo nada de errado nisso, só que quando se está equivocado, o ato de fazer prevalecer uma opinião sobre outra pode causar um dano irreversível. Vamos aos elementos da discórdia, os quatro pilares fundamentais da proposta petista:

FINANCIAMENTO PÚBLICO E EXCLUSIVO DE CAMPANHA
Acho, sim, o processo eleitoral no Brasil escandalosamente oneroso e que permite a desigualdade na competição entre os partidos. Já escrevi bastante sobre esse item, basta escrever as palavras "reforma política" na caixa de pesquisa do blog e aparecerão vários textos. É um dos itens mais polêmicos e mais debatidos nos últimos anos. Analisei cada entrevista daqueles que defendem esta aberração e nenhum deles me convenceu de que o tal financiamento solucionaria o problema da corrupção no país. Caixa Dois é uma prática que até foi invocada como recurso de defesa em tribunal neste país e nada na proposta elimina a existência desse corpo estranho na política. Além do mais o processo eleitoral já custa quase um bilhão ao contribuinte por eleição, ou seja, já é financiado pelo dinheiro público. Outra abominação será o critério para que a verba seja administrada pelos partidos. Quem levará a maior fatia? Como será a distribuição da verba? E mais! Reitero meu ponto de vista contrário a mais esse ataque contra os pagadores de tributos. Candidate-se a uma vaga qualquer para um cargo público, não importando suas razões se é pela estabilidade, mordomia, bom salário, etc. Terá de pagar por isso e ainda ralar muito para ser aprovado em concurso público. Por que cargas d'água um parasita tem que receber um financiamento alheio para pleitear uma vaga em um serviço público que é o de parlamentar ou governante? É gozar com o pau dos outros! E por que o PT tem tanto interesse que as suas campanhas sejam financiadas pelos eleitores? Não bastou saquear a prefeitura de Santo André que levou, inclusive, ao assassinato do prefeito Celso Daniel, para saldar dívidas de campanha? Não bastaram os desvios do Visanet que serviriam para saldar dívidas de campanha e que culminaram nas condenações do julgamento do Mensalão? Já não conseguem recursos suficientes e por diversos meios? Precisam mesmo é legalizar a prática? Se o partido estivesse mesmo interessado em mudar os rumos das eleições no país de forma que fosse o melhor para a população, teriam em sua proposta mecanismos que tornassem as eleições mais baratas e não o contrário! Essa proposta anda na contramão do amadurecimento eleitoral.

VOTO EM LISTA PRÉ-ORDENADA PARA OS PARLAMENTOS
De tudo que pode haver de ruim na proposta de Reforma Política do Partido dos Trabalhadores este item é o pior de todos! Nesta proposta abominável o eleitor votaria na legenda do partido e, de acordo com essa votação, estabeleceria-se o número de cadeiras a que cada agremiação tem direito. Obviamente os eleitos seriam os primeiros de uma relação previamente preparada por cada partido e dessa maneira o eleitor nem tomaria conhecimento de a quem estaria dando seu voto. Nesse sistema fortaleceriam-se ainda mais as legendas mais fortes e se eliminaria de vez a força política de cada indivíduo. Espia só! Tirando os militantes fanáticos, não conheço um único eleitor que vota por causa da legenda de um partido. A maioria do eleitorado vota por afinidade a um indivíduo e simpatia por suas ideias, mesmo que elas estejam ancoradas a ideologia de uma legenda. Com a proposta petista dilui-se de vez o valor do indivíduo e prevalece a vontade de uma facção organizada, ou seja, do partido. Diga-se de passagem que as piores cagadas que nossos representantes realizam foram justamente porque estão presos ao comando de seus diretórios políticos e suas convicções. É um sistema que afasta ainda mais os eleitores de seus eleitos. Mais uma vez na contramão do amadurecimento eleitoral e daquilo que tanto se prega que devemos fiscalizar de perto nossos representantes. Essa "solução" apenas aumentaria (e muito) a hipocrisia de nossos parlamentares que migrariam para as legendas mais fortes a fim de garantir sua sobrevivência faustuosa na "Casa do Povo". Ah! Mas, os partidos sérios iriam estancar esse tipo de atitude! Já sabemos como funcionam os partidos: fisiologismo! Então esqueçam a moralidade.

AUMENTO DA PARTICIPAÇÃO FEMININA
Por que um partido teria de levantar essa bandeira, afinal? O aumento de qualquer participação deveria ocorrer pelo próprio interesse dos indivíduos! Se uma legenda precisa decretar que isso ocorra, ou definir uma cota obrigatória, temos alguma intenção menos digna em curso. Eu acho mesmo que as mulheres participam pouco da política, mas quando uma legenda quer impor essa participação ela não está interessada na representatividade das mulheres. Está mesmo é querendo que sua própria representatividade aumente e isso não é garantia de nada. Se Eduardo Campos (PSD) estivesse interessado no que Marina Silva representa para o seu eleitorado, teria sugerido ela como candidata oficial para o cargo da presidência. Afinal, ela é muito mais conhecida do que ele! O que ele tem interesse mesmo é no volume de votos que a líder da Rede pode trazer para sua improvável eleição. Quando se lê em um documento que um partido pretende aumentar a participação feminina, a primeira coisa que vem a nossa mente é que esse pessoal se preocupa com as mulheres. Falácia! Todo partido político já mantém um diretório exclusivo para mulheres e essa é a maior prova de que seu interesse está longe de incluí-las. Fosse assim, todas as legendas lançariam candidatas ao cargo principal, o que só ocorreu com o PT até hoje e isso já deixa claro que estariam na dianteira para conseguir o apoio de mais mulheres. Acontece que o despertar feminino deve ocorrer por conta das próprias mulheres e conforme seu interesse. Aumentar a participação feminina apenas por número é abrir brecha para pessoas sem a menor vocação para a representação política, senão apenas para a tutelagem partidária. E isso não se restringe apenas as mulheres! Porque não incluem na proposta então uma cota obrigatória para representantes legitimamente pobres e sem nenhuma popularidade para conquistar votos? É inviável, né...

ASSEMBLÉIA CONSTITUINTE EXCLUSIVA
Essa é só mais uma maneira de impor a vontade de alguns poucos sobre a de outros muitos. Repito! O PT é o único partido capaz de recrutar pessoas suficientes para enfiar goela abaixo de uma maioria as suas ideias. Por que isso acontece? Porque não existe nenhum grupo capaz de se organizar contrariamente a isso. A proposta não é nova em nosso continente! Já aconteceu, por exemplo, na Venezuela! Não houve nenhum rompimento da ordem no Brasil para que se estabeleça uma Assembleia Constituinte Exclusiva. Além do mais, fatores constitucionais que 80% da população gostariam de ver mudados na Constituição atual não fazem parte da pauta deste partido, ao menos. Tudo que a maior parte da população é favorável a mudança, os progressistas são contra, como a redução da maioridade penal, por exemplo. Que outra razão encontra o PT para sugerir tal ideia? Aumentar seu poder sobre a oposição e controle da vontade da massa? Não deveriam se expor desse modo. Passaram os últimos 11 anos desqualificando a oposição e culpando-a por tudo de errado que existe no país, mas se esquecem de que estão no poder há mais de uma década e não fizeram nem 12% do que prometiam. Além do mais, governaram sem oposição durante todo esse tempo, primeiro porque na oposição não existe ninguém com moral maior do que a deles e segundo porque têm franco apoio em quase a totalidade do que propõem. Por que a ansiedade para aumentar ainda mais o seu poder?

Não sou contra a Reforma Política, mas contra esses quatro pilares que não representam a vontade do povo e sim a ideia totalitária de uma cúpula de lideranças que influencia seus liderados que não questionam o que podem perder de fato. Vocês estão ganhando hoje e ainda vão durar algum tempo no poder. O que acham que acontecerá quando forem destituídos do controle da nação e forem vocês, novamente, os detentores do estigma de inimigos da nação. Já estiveram do lado de cá e saborearam, em doses homeopáticas, os ataques e ofensas que patrocinam atualmente. O que acham que acontecerá quando o poder cambiar de mãos e o estrago que fizeram já não for mais reversível. Francamente, não acredito que o PT será removido do poder nas próximas eleições, mesmo que, pelo menos a metade da população não concorde com sua permanência. Ao contrário, acredito que o partido poderá se fortalecer ainda mais. Ainda conseguirão propor mais mudanças na ilusão de que isso fará com que o seu poder se estenda ao infinito, mas é só vapor... Abram a caixa do totalitarismo e libertem todas as quimeras que um dia voltarão contra vocês mesmos. O sucesso da campanha que estão promovendo para empurrar sua proposta de Reforma Política ocorrerá, principalmente, por que a maioria das pessoas que assinam desconhece seu conteúdo. Embora, o partido tenha militantes suficientes para alcançar muito mais do que 1,5 milhão de assinaturas.

Publicado originalmente em 15/04/2014 às 11h49

4 comentários:

  1. Defendo uma reforma política que amplie a democracia e a participação popular, o financiamento público de campanha em detrimento ao privado e referendar tudo isso via plebicito. A reforma política tem que incluir também uma reforma na estrutura interna dos Partidos, devem exigir maior fidelidade às causas que se propõem a defender.

    ResponderExcluir
  2. Não sou petista, embora seja aliado (não alienad, a diferença é notória...), mas defendo o fortalecimento dos partidos sim, por uma questão ideológica, uma vez que se advogasse o seu enfraquecimento deveria se subentender a sua extinção... Se pensarmos em um indivíduo qual seria a sua proposta para o Estado? Entendo como dificultosa essa ideia, o partido tem condições de explorar a criatividade e a inteligência coletiva, ter um posicionamento ideológico... Os indivíduos tem que se apropriar da discução política, dos mecanismos que a democracia oferece, isso tem que ser fortalecido, a confusão ideológica de partidos que não tem um alinhamento definido é maléfica à democracia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renato, você já me deu demonstrações suficientes de que sua inteligência é maior do que a que você demonstrou nesse último comentário. Logo você que teve sua expressão de indivíduo diluída e atropelada por um interesse maior de um partido. Não há nada de errado que as pessoas com interesses comuns continuem a se unir a outras em forma de partidos, facções, grupos, etc. O perigo é justamente quando dentro desses grupos destacam-se seres iluminados (indivíduos), aos quais o restante acaba se submetendo por que existe uma "causa maior" em jogo e daí suprimem-se os outros brilhos do grupo. Não é de hoje que partidos tem estuprado suas ideologias convencidos por certas lideranças de que esse é o melhor caminho para se chegar ao poder. Tome como exemplo o seu próprio partido que reduziu-se a um esbirro do seu grande aliado que lhes reserva apenas o que existe de pior em sua agenda. Gozado que atualmente, para um partido, você como indivíduo é essencial para promovê-lo, defendê-lo e dedicar cada fôlego seu no fortalecimento da legenda, mas é a liderança, e não você, que decide. Não há incoerência no que você afirma no final do comentário, mas não se esqueça de que foi um indivíduo que fez nascer toda a ideologia que vocês seguem até hoje. A fidelidade partidária não significa que o indivíduo esteja alinhado as ideias do grupo. Isso não acontece há décadas. Toda legenda é reduzida a um balcão de negócios. Observe a grade de seus associados atual. Qual o histórico deles dentro da filosofia comunista? Quando você me convenceu a votar em sua esposa, por exemplo, eu o fiz por estar convencido do caráter dela como indivíduo e não como escora de um partido.

      Excluir
  3. Qual delas? A que você for contra, jumento.

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.