Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

Sobre a Manifestação pelo Passe Livre em São Paulo

Passe Livre em São Paulo - Um Asno
Na última vez que falei do Movimento Passe Livre eu estava bem distante deles e sofria muito pouco as influências de suas atitudes. De lá para cá tive até a oportunidade de conhecer alguns pessoalmente e tenho de confessar que, apesar de ter uma visão melhor sobre esses jovens, minha opinião apenas se consolidou acerca da "Catraca Livre". Hoje sou afetado diretamente quando os guris decidem fazer suas manifestações! Tentarei analisar apenas pela ótica de um usuário do transporte público de São Paulo. Não mudei de opinião, ainda sou contra o privilégio para alguns em detrimento dos outros. Considero a gratuidade no transporte público para idosos uma obrigação não só do estado, como também de toda a sociedade, portanto, não me oponho que a catraca seja livre para esses cidadãos. Quanto aos estudantes... Ou qualquer outra classe! Já fui estudante e retornarei a essa condição em breve. A única vez que fiz uso do privilégio de pagar meia entrada foi em uma ocasião no cinema e devo admitir que me senti muito mal por isso. Eu possuía meios para pagar a entrada integralmente e mesmo assim me aproveitei desse "direito".

Já expus os meus argumentos e ainda não me convenceram de que transporte público gratuito exista de verdade. Se há algo grátis, alguém paga a conta! Ora! Querem reduzir o lucro das empresas que está na casa dos 15%! Esse valor, para um país, cujo sistema econômico permite a corrosão do dinheiro e mantém uma taxa de juros perto dos 20% ao ano, é muito apropriado. Sem contar que a iniciativa pública entra com um subsídio de aproximadamente 6 bilhões de reais para cobrir parte dessas despesas. E ainda tem a lei do Vale Transporte que só permite cobrar 6% do salário de um operário, levando o empregador a curtir o pagamento do excedente quando houver. Faço uso do transporte público em São Paulo por que é muito mais viável para mim do que a manutenção de um veículo. Há rodízio aqui, o trânsito é engessado e estressante e ainda existem os assaltos! Custa muito para se locomover em São Paulo, mas, proporcionalmente, custa muito mais no interior, se analisarmos! Para mim, esses jovens estão confundindo as coisas. Não acho que passe livre seria um passo rumo a democratização da cidade. Seria muito bom que ninguém precisasse pagar passagem para se locomover, mas sei muito bem como se constrói uma planilha de custos.

Vou discutir apenas alguns pontos que li no artigo do Jefferson Lima (aqui). Concordo com vários de seus argumentos, mas discordo de sua ideia do que "seria uma nova política de mobilidade urbana no Brasil". Ainda acho que melhor do que baixar preços é ter menores custos e maiores rendas, apenas isso. Não sou contra o lucro dos empresários. Aliás! Não há nada de errado em se construir o lucro sobre algo que forneça satisfação, tenha seu valor percebido e pago com satisfação por todos. Quero mais que eles lucrem mesmo e que eu tenha as mesmas condições garantidas, não mais do que isso! Ora! Quanto tem de lucro a empresa que fabrica o celular de última geração que os guris do MPL utilizam para filmar seus protestos e compartilhar nas redes sociais (que, aliás, lucram muito com um produto que não agrega nada).

Leandro escreveu que "no Brasil, mais de 40% da população que vive nas cidades grandes não tem dinheiro para pagar ônibus regularmente. Muitas pessoas estão excluídas da educação porque não podem pagar o ônibus até a escola. Toda vez que aumenta a tarifa do ônibus, metrô e trem, a exclusão social aumenta". De fato, é isso mesmo! E a culpa é de quem?? Eu também tenho uma demanda pessoal (não interrompo o trânsito para empurrá-la na goela de ninguém). Eu gostaria que meu país investisse em tecnologia de alto valor agregado, que a educação nos elevasse a categorias mais rentáveis do que apenas as formações técnicas tapa buracos, que os impostos fossem mais coerentes com o retorno do estado, que não houvesse tanta incompetência, planejamento nas coxas (quando existe) e corrupção! São coisas que fazem parte também do horizonte de desejos do MPL e que contribuiriam para o aumento de renda da população e aí não teríamos de dizer que o custo é alto. Seria o justo e grande parte utilizaria o transporte público com mais satisfação (e ainda pagando por isso).

A escolha do MPL vai na contramão, ao meu ver. Pede que toda a sociedade pague pelo transporte público e isso acontece mediante mais impostos. Por que pararmos só no transporte público? Que tal água gratuita para todos? Ou melhor! Tarifa de energia zero para todo mundo! Quanto tempo você consegue ficar sem transporte público? E sem Água? E sem Energia Elétrica? O propósito não deveria ser tarifa zero e sim Renda Máxima! Só é possível ter renda maior com desenvolvimento pessoal e o lucro para realizar investimentos no crescimento das empresas que empregarão, inclusive, os integrantes do MPL. Esse nosso estado arrecadou "só" quase dois trilhões de reais no ano passado e ainda vai acrescer mais impostos durante esse ano, seja para cobrir suas cagadas, ou para mais do mesmo, ou seja, nada de melhor em suas obrigações para com os cidadãos que pagam esses impostos.

Jefferson Lima ainda escreveu: "No modelo padrão atual, o funcionamento dos serviços de transporte coletivo tem grandes custos com o combustível, os salários dos motoristas e cobradores, a manutenção dos veículos, a troca dos pneus, etc. Os dados comprovam que somente com o dinheiro das tarifas cobradas, não é suficiente para operação, manutenção e melhoria do transporte público no Brasil. O serviço está cada vez mais caro. Toda vez que o sistema atual entra em crise, todas as saídas paliativas recaem no orçamento dos usuários do transporte público". Quanto a isso ele não poderia estar mais certo! Mas, existe uma proposta sóbria por trás desses argumentos? Eis a saída, segundo Lima: "É importante aumentar os recursos dos governos de modo a que ele possa atender de forma direta à população, em especial as de baixa renda, os desempregados, os idosos, a juventude, etc". E ele demonstra como: "Existe hoje em discussão várias formas de se chegar a tarifa zero. Propostas através de um Fundo de Transportes, através do IPTU, um maior investimento através da CIDE, das taxações das grandes fortunas, dos royalties do petróleo, etc, (...)".

Tem dó... Criar uma "nova forma de tributação que onere as grandes empresas que verdadeiramente se beneficiam do funcionamento diário do transporte coletivo" também não é saída! Lima tem razão quando afirma que "esse gargalo do transporte público não se resolve no passe de mágica". Porém, nem de longe a saída será através da pressão social para a aniquilação da tarifa. Há um ano essa pressão veio a resultar em 16% de aumento na tarifa para esse ano. Tudo para cobrir a "gentileza" do prefeito Haddad com os estudantes de baixa renda. Alguém teria de pagar o preço, némessm? Então... Estamos pagando por essa conquista da mobilização do MPL que conseguiu impedir o aumento no ano passado e ainda conseguiu fazer com que o benefício do passe livre fosse estendido para mais gente nesse ano. Reclamamos? Não! Como eles nos agradecem por estarmos contribuindo com suas vitórias? Nos impedindo de retornar para nossos lares com faixas como a que está no topo desse texto. O argumento bem pode ser: "você também será beneficiado com nossa luta quando vencermos". Isso é papo de sindicalista, meu! Já vacinado!

Já disse que sou favorável a quaisquer manifestações desde que elas ocorram dentro dos limites consentidos em nossa sociedade. Ah, mas a manifestação era pacífica e perdeu o controle por causa da atuação da polícia! Nem fudeno! Nenhuma manifestação que precise da atuação policial é legítima! Se engraçadinhos provocaram a perda do controle da passeata a culpa é dos organizadores e ponto! Apoio o MPL em suas reivindicações, ainda que não concorde com elas. Mas... Por gentileza... Se estão mesmo preocupados com a democratização das cidades, não incorram contra a liberdade de outros para impor suas demandas. Estamos cansados e queremos poder voltar para o lar depois de longa e prazerosa estadia no trânsito bucólico de São Paulo... Afinal, apreciamos aguardar por horas por um transporte e ele não chegar no tempo certo ou mesmo nem vir. Além da tarifa mais cara, já temos chuvas, ruas ruins, nóias nos pontos de ônibus ou metrô e outros inconvenientes mais. Não precisamos pagar caro para ficar parados por que vocês querem se movimentar de graça!

Um comentário:

  1. E onde se viu o jegue pagar pelo transporte dos outros? Ainda mais se o outro for pobre? Isso tá errado.

    Como bom egoísta e nem um pouco empático, o jumento tem que pagar só a passagem dele. E foda-se se o pobre não conseguir andar de ônibus.

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.