Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

FIM DO EXÍLIO... Recomeço e o que virá pela frente!

Guarulhos - São Paulo - Blog do Asno
Começo pelo final... Continuo acompanhando tudo o que ocorre na economia, na política e, agora também, na esfera onde ocorrem as maiores perdas ocasionadas pela cegueira intelectual/ideológica daqueles que pretendiam conduzir o país. Muita coisa me impressionou nos últimos meses, mas nenhuma me surpreendeu tanto quanto o descaramento do governo e seus defensores sobre a situação pela qual passamos todos atualmente. Nos dias 06 (aqui) e 09 (aqui) de março deste ano, escrevi afirmando que viria temporal pela frente e que o país estaria fragilizado demais para aguentar a tempestade. Pois é... A fragilidade apenas aumentou! Teremos nos próximos meses um enfraquecimento ainda maior em determinados segmentos como a Construção Civil, máquinas e equipamentos, logística, plásticos e assim por diante, obedecendo a uma lei macabra de desastres. Dizer que a culpa toda pertence ao governo e seus dogmas irracionais é injusto. Somos ainda mais culpados por tudo o que ocorre agora. Temos exatamente o retorno proporcional ao nosso estágio de compreensão de como deveria funcionar o mundo.

Não culpo o governo ou os larápios que não querem abandonar a teta de ter a seu serviço uma massa de "contribuintes" para realizar todas as suas fantasias e fetiches pessoais. Assumo minha culpa na colaboração para o que temos. Confesso que ri muito quando li a defesa que o Advogado da União, Sr. Luis Inácio Adams, entregou ao TCU para justificar as abençoadas "pedaladas fiscais" do governo ao final do ano de 2014. Ignoremos que houvessem intenções de iludir a população para garantir a vitória no pleito daquele ano... Ignoremos que o governo tenha tomado todo tipo de atitude irresponsável nos condenando a penúria que agora se avizinha... Mas... Não acreditemos que o governo é repleto apenas de imbecis! Ah, isso não! Adams nos provocou de maneira grotesca ao afirmar que “A realidade econômica evoluiu de maneira imprevisível para todos os analistas. Quem projetava um impacto de redução de commodities, aumento do dólar, de mudança do quadro econômico do jeito que aconteceu no final de 2014?". Quem??? Bolas!! Até um zérruela como eu conseguia enxergar já no início de 2012 que o cenário futuro era exatamente o que estamos experimentando agora. Não faltaram alertas e analistas prognosticando um horizonte sinistro e a própria lógica nos esfregava na fuça o que viria a acontecer.

Percebíamos que o governo ignorou um conselho básico! Em tempos de vacas gordas, convém preparar-se para os momentos precários. O governo Lula (verdadeiro genitor da atual crise), surfou faustuoso quando a China nos favorecia, o mundo estava em frangalhos e nosso país foi fortemente beneficiado por vários eventos. Aquele irresponsável, fez graça para mostrar que podia emprestar dinheiro até para o FMI, aumentou sem regulação ou controle os programas sociais para aumentar o próprio prestígio junto as camadas mais pobres, gozou com pau alheio e acreditou que era realmente o responsável por aquele áureo período. Porém, a culpa não foi dele... Nós todos preferíamos acreditar que estávamos seguros e nos cegamos diante de todos os alertas sensatos. Nossos ouvidos se refestelavam sempre que ouviam "Nunca antes na história deste pais...". Foi um erro grotesco ao qual todos concorremos, quem apoiou a irresponsabilidade e quem nada fez para impedir. Mesmo notando o abismo a frente, eu ainda não conhecia todas as dimensões que ele alcançava. Foi quando eu vim para a Capital para conhecer e viver a experiência do subúrbio.

O Começo
Meu penúltimo registro causou certa revolta por parte de algumas pessoas que conviveram comigo e até fez com que outros viessem a se preocupar com meu estado mental. Garanto, não há nada de anormal em mim (se é que algum dia houve de normal...), apenas mudei e para muitos sei que não foi para melhor. É óbvio que, sendo assim, é muito melhor para muitos que eu me afaste de vez deles. Algumas pessoas sempre estarão bem protegidas em cada camada de emoções que ainda restam em mim. Muitos foram engrenagens valiosas para a construção da minha história e jamais deixarão de habitar um lugar nobre na minha memória. Outros, como deve ser, serão apagados para dar lugar a assuntos e eventos mais relevantes até o fim dos meus dias. É uma higiene necessária para todos nós, sobretudo para eles que estão livres de mim. Quando aceitei vir para a Capital, o fiz com um propósito: deletar todo excesso de peso emocional que carregava e reiniciar minha vida. Quando aqui cheguei, recebi um presente sem preço! Não era bem vindo aqui tanto quanto no lugar de onde eu vinha. Talvez a experiência mais rica de toda a minha vida, depois da de ser pai, se manifestou como uma oportunidade. Aceitei a provocação e determinei que o prazo máximo para me submeter a ela seria de um ano... Passou um pouco mais do que isso, mas o dia chegou! Porém, a experiência nunca será esquecida.

Viver em uma comunidade e conviver com pessoas com tantas histórias ricas e culturas diversas me ensinou muito sobre mim mesmo e mais ainda sobre o mundo que me cerca. A maioria das convicções que eu já possuía ficaram muito mais fortes depois da experiência vivida. Não poderia deixar de registrar tudo isso de alguma forma. O ambiente, a geografia, a cultura e tudo aquilo que não quero esquecer: o belo, o feio, o sinistro e o idílico. Foram experiências para comover e para aumentar meus motivos para que eu nunca permita que me reduzam ao que os outros desejam que eu seja. É engraçado descobrir que hoje, apenas um ano e meio depois de vir para cá, conheço mais desse lugar do que muita gente que passa a vida inteira por aqui. Nem preciso dizer que ainda restam coisas para as quais eu necessitaria de muitas vidas para conhecer. Também não preciso registrar por que não era conveniente ficar escrevendo muito acerca da minha região!

Escrever sempre foi uma terapia para mim. É uma maneira de me manter em paz comigo mesmo. Em tão pouco tempo aqui pude experimentar as mais densas emoções e com isso restabelecer minha fortaleza. Há muito deixei de me preocupar com a Janela de Johari e com a percepção que as pessoas tem a meu respeito. Quase sempre essa percepção será falsa mesmo e não tenho muito tempo para gastar me justificando para ninguém. Há muito para registrar daqui para frente e pouco ou quase nada de relevante acerca da política atual. O Partido dos Trabalhadores já fez todo o serviço. Sua história foi deletada pelas ações daqueles que se autointitulavam "heróis do povo brasileiro". Fico imaginando se esse pessoal tivesse obtido sucesso contra o regime militar e houvessem conquistado o poder naquele período. Hoje estaríamos vivendo de mãos dadas com o regime norte-coreano e nossa capital estaria em Cuba. Essa gente foi muito boa para planejar terrorismo e assaltos (não mudou muito de lá para cá), mas não eram capazes de administrar uma loja de 1,99 (também não mudou muito!).

Não existe uma crise política no Brasil como o governo quer que acreditemos. Não existe uma crise econômica como querem alguns analistas. Ambas são apenas consequência da crise real que ainda durará décadas! A crise pela qual passamos tem sua origem há mais de cinco décadas. Temos é uma crise de liderança no Brasil! Ficamos tão cegos e apáticos que nos empolgamos com qualquer discurso de qualquer mané com currículo de sindicalista. Pior! Não existem muitos líderes sindicalistas há muito tempo antes do divino Lula. O que temos é uma classe de parasitas completamente incapazes de produzir, mas com apetite para serem sustentados. São péssimos para provocar mudanças positivas, mas tornaram-se especialistas em discurso e retórica. Nós os merecemos!

Sou contra o impedimento da grande marionete que ocupa a cadeira da presidência desse país... As razões são múltiplas! Agora estão descobrindo o que já era evidente desde os primeiros dias dessa senhora no comando: ela nunca esteve a frente de absolutamente nada! Nunca foi ela quem decidiu sozinha que rumo deveria dar ao país e esse foi seu pior erro. Entrará para a história como a afirmação de que não conseguimos ainda produzir no Brasil uma mulher que seja capaz de conduzir sem ser conduzida por um macho! Isso é decepcionante, pois cheguei a apostar que ela poderia virar o jogo simplesmente reagindo contra seu criador e deixando sua própria marca no governo. Espero que ela termine esse mandato e ao final, que seu líder ocupe o lugar que merece de fato: o esquecimento.

P.S.: Gostaria de ver novamente os militantes compartilhando fotos dos comprovantes de depósitos para ajudar a pagar as multas dos heróis como Zé Dirceu... Imagino que deva ser muito constrangedor agora!

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.