Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

Carga tributária bate recorde e "analistas" tentam suavizar o problema.


Carga Tributária Brasileira - Um Asno
Li dois artigos no site O Cafezinho de Miguel do Rosário, dois no jornal O Globo, um no jornal O Estado de S. Paulo, um no blog do Zé Dirceu e um de Reinaldo Azevedo para formar minha própria opinião sobre a questão tributária no Brasil. Conclui que, embora alguns analisem de maneira diferente, como é o caso de Rosário, o problema do Brasil é sim de incompetência, inchaço da máquina pública, falta de rigor na gestão dos recursos e a voracidade descomunal dos corruptos, dos parasitas em cargos públicos e da conivência histórica dos governos com a ineficiência do estado.
Não importa quanta besteira se diga e quantas análises esfreguem na nossa fuça! Não adianta amainar o problema justificando que se deve levar em conta a carga tributária sobre a renda per capta. A única coisa que fica evidente, levando-se em conta que o Brasil arrecadou menos impostos por pessoa em relação aos outros 29 países que dão melhores retornos de impostos que cobram à população, é que se o Brasil fosse mais eficiente na gestão desses recursos, não teríamos os serviços de primeiro mundo, porque nosso PIB ainda é uma piada, mas com certeza seriam muito melhores.
"A carga tributária bruta do Brasil subiu para 35,31% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011, atingindo 1,46 trilhão de reais, informou a Receita Federal nesta quinta-feira. É o maior patamar da série histórica desde 2002. Em 2010, a carga havia fechado em 33,53%Ainda no ano passado, o peso dos tributos estaduais foi de 8,63% do PIB, ao passo que o dos municípios foi equivalente a 1,95% do PIB. O restante da carga, ou 24,73% do PIB, foi devido a impostos e contribuições arrecadados pela União.
De acordo com a receita, a alta da carga é resultado da combinação dos crescimentos, em termos reais, de 2,7% do Produto Interno Bruto e de 8,15% da arrecadação tributária nos três níveis de governo. Em outras palavras, a arrecadação subiu proporcionalmente muito mais do que a economia avançou. Já na comparação de 2010 em relação a 2009, o PIB teve um crescimento de 7,5% enquanto a arrecadação tributária subiu 8,9%. Segundo a Receita, a expansão foi devida, sobretudo, ao crescimento da arrecadação do Imposto de Renda (IR), da contribuição previdenciária e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL)". Reinaldo Azevedo
O Estado brasileiro tem uma arrecadação de impostos per capita bem menor do que as nações ricas e a culpa é exclusivamente sua porque ainda é incapaz de promover o desenvolvimento necessário para que se eleve o PIB e porque explora muito mal o espaço que existe para aprimorar o serviço público. O setor público ainda é "burrocratizado" (longe da burocracia ideal para manter o progresso), e se faz necessária uma revolução no modelo de gestão atual para que o estado possa fazer mais e melhor com o dinheiro que já arrecada. Segundo os indicadores, o Brasil está na média de arrecadação, o que falta na realidade é aumentar o seu PIB.
Houveram avanços nos últimos anos e a informatização das máquinas fiscais aumentou a eficácia nas arrecadações (por isso a arrecadação bateu recorde). O que precisa ocorrer é um avanço em todas as áreas do setor público. Com o pouco (como analisam alguns, não é minha opinião), que se arrecada por pessoa no Brasil já seria suficiente para termos serviços, ao menos, condizentes com nosso grau de desenvolvimento. Não adianta ganharmos em apenas algumas áreas, precisamos de serviços melhores e isso é possível com um estado austero e menos inchado como o atual.

Um comentário:

  1. é isso ai, boa, tais divulgações mesmo qwue a todo momento esteja sendo divulgado para não ter desculpa de que não sabemos porque existe tanta corrupção...........

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.