Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

De que Golpe os governistas estão falando?

Golpe de Getúlio Vargas - Blog do Asno
Sou um animal político e possuo o mórbido hábito de acompanhar as sessões da Câmara e do Senado. Às vezes é divertido... Porém, algo se tornou muito sério no país. É grave quando um maluco a serviço do Itamaraty envia a todas as embaixadas brasileiras no exterior um alerta para o risco de um golpe político no Brasil, segundo informação publicada no jornal "O Globo" nesta quarta-feira. A mensagem pedia, ainda, que cada posto designasse um diplomata para dialogar com as organizações da sociedade civil locais sobre o tema. O autor da mensagem, segundo o jornal, foi o ministro Milton Rondó Filho que é ligado ao ministro do Trabalho, Miguel Rossetto. Além de atuar no Itamaraty, Rondó já assessorou o Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST). De acordo com reportagem de "O Globo", a mensagem diz que “é momento de resistência democrática”, cita “profunda preocupação” com os rumos do processo político e ataques dos grandes grupos econômicos e da mídia a governos legitimamente eleitos, e chama a sociedade para a luta pela democracia com uma mensagem de “Não ao Golpe! Nossa luta continua!”. Minha primeira impressão é de que nesse caso o fulano está excluindo dos "grandes grupos econômicos" as mega empreiteiras que favoreceram em muito ao período de poder do PT...

O caso é muito grave, ainda por que tem gente influente repetindo essa merda pelo globo. O grande cretino, Glenn Greenwald, jornalista que se tornou conhecido através do trabalho que fez com as denúncias de Edward Snowden, o cagueta da NSA (Agência de Segurança Nacional dos EUA), publicou uma matéria nesta sexta-feira (18/03) na qual afirma que “as corporações de mídia” do Brasil agem como “organizadoras de protestos” contra a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. Na matéria, a grande imprensa é classificada ainda como “máquinas de relações públicas de partidos de oposição”. O canalha escreveu trechos como esse: “Ao contrário da descrição romantizada e mal informada (para dizer o mínimo) do Chuck Todd e Ian Bremmer de protestos sendo levantados “pelo Povo”, esses são, na verdade, incitados pela mídia corporativa intensamente concentrada, homogeneizada e poderosa, e compostos por (não exclusivamente, mas majoritariamente) pela parte mais rica e branca dos cidadãos, que por muito tempo guardaram rancor contra o PT e contra qualquer programa social que combate a pobreza".

Já ouvi isso antes... E sempre da boca de algum petista! Não seria um texto digno de um jornalista que ganhou o Pulitzer, afinal, quais devem ser as fontes desse charlatão? Estamos sendo manipulados por mídias e oposição?? Que papo é esse? Tivemos foi uma oposição covarde que só decidiu aparecer quando os protestos ficaram mais intensos e a Globo na maior parte do tempo criticando ou desqualificando nossas manifestações. Será que ele se referia a revista VEJA? Garai! Essa revista tem leitores pra cacete mesmo! Tem pelo menos dois anos que é quase impossível não ver algum representante governista atacando as pessoas contrárias ao governo marcando-as com pechas de fascistas e golpistas. Claro que isso me incomoda, afinal, sei o que é um golpe! Vira e mexe quando ocorre qualquer movimentação de cunho político logo ressurge o uso inconsciente dessa expressão. Qual é a definição para a palavra GOLPE? Ao se associar com o processo político, seria o golpe de Estado que é "uma usurpação do poder de forma ilegítima para atender ao interesse de uma pessoa ou de um pequeno grupo que representa interesses que são contrários ou não são contemplados pela Constituição de um país".

Nada disso está em curso no Brasil!! Já tivemos golpes antes e só vejo as pessoas referindo-se ao Golpe de 1964. E o da década de 1930, orquestrado por Getúlio Vargas? E o da própria Proclamação da República? Vamos ao Wiki... "Golpe de Estado se caracteriza por uma ruptura institucional repentina, contrariando a normalidade da lei e da ordem e submetendo o controle do Estado (poder político institucionalizado) a pessoas que não haviam sido legalmente designadas". "Um golpe de Estado costuma acontecer quando um grupo político renega as vias institucionais para chegar ao poder e apela para métodos de coação, coerção, chantagem, pressão ou mesmo emprego direto da violência para desalojar um governo. Qual é! ninguém está falando em dar o poder a ninguém! Ninguém está falando em violar regras institucionais! Pelo contrário! Ninguém está falando em suspensão do Poder Legislativo, com fechamento do congresso. Se tivéssemos uma oposição de "grelo duro" como diz nosso ex-presidente, talvez ocorresse algum movimento nesse sentido, mas não é o caso. Nossa oposição é mais governo que o próprio governo.

Além disso, (...) "Nem todo processo de deposição de um governo ou regime é necessariamente um golpe de Estado! Há, por exemplo, os referendos de revogação de mandato (callback, em inglês) e as votações parlamentares de impedimento de um governante (impeachment), previstas constitucionalmente em vários países", inclusive no nosso, porra! Getúlio Vargas sofreu processo de impeachment! Saiu livre por que tinha mais base do que o Fernando Collor, apenas isso! Getúlio se suicidou logo após escapar do impeachment por que seu governo se tornou inviável após o atentado contra Carlos Lacerda, seu maior adversário, e o nome de seu filho aparecer relacionado as posturas nada lícitas. Não teria mais forças para governar o país. A pressão seria insuportável e ele escolheu o suicídio em 24 de agosto de 1954. Por mais que se tente reescrever a história, Getúlio não era nenhum santo. Collor foi impedido em 29 de dezembro de 1992, mas absolvido pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por falta de provas em 2014. É claro que o pilantra devia, porém a denúncia foi redigida de maneira tosca e isso o livrou de responder por seus crimes, não esquecendo que dois deles, falsidade ideológica e corrupção passiva, haviam prescrevido.

Havia base jurídica? Havia... Mas foi uma denúncia desastrada. Não há paralelo algum entre nenhum dos casos, sobretudo, quando se acrescenta à análise o governo de Dilma Rousseff. Impeachment não é golpe! É dispositivo constitucional que deve ser utilizado politicamente. O governo atual aborrece as pessoas por que devolve a população as críticas que essa lhe dirige. Esse governo irrita por que não admite suas responsabilidades, não reconhece o quanto está equivocado nas suas decisões e, principalmente, por que não possui liderança alguma para recolocar o país no rumo correto. Ah! Tem mais alguns sentidos para a expressão "Golpe" que os governistas deveriam explorar melhor! Espia só...

"Estratagema; ação ardilosa; em que há tramas. Desgraça; situação trágica e imprevista. Ação de excluir ou de acabar com algo ou com alguém. Enganar comercialmente; roubar; ser irregular em negócios ou acordos". Perae! Isso tudo aconteceu mesmo! E foi promovido pelo governo petista! Portanto, há, sim, um golpe em curso! Esse governo tramou contra os interesses da nação! Esse governo conduziu boa parte da população a uma situação dramática e trágica. Esse governo emprega a todo instante práticas para desqualificar seus opositores tentando nos excluir e acabar com nossa oposição! Esse governo nos iludiu, roubando recursos da nação e promovendo negócios e acordos que nos prejudicavam... A qual golpe, mesmo, os governistas estão se referindo quando discursam???

Nenhum comentário:

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.