Rádio Na Pior

Últimos Artigos
recent

Movimento Passe Livre: Protestos no Brasil - Resposta a um leitor

Protestos na Avenida Paulista - Um Asno
Um leitor me enviou uma mensagem com um puxão de orelha quanto ao que venho escrevendo a respeito do Movimento Passe Livre e suas derivadas ações. Preferi publicar porque acho relevante que outros entendam o meu ponto de vista. Vou transcrever na íntegra a mensagem que Márcio Elízio da Rocha Pereira me enviou e abaixo colocarei minha resposta:
From: Marcio Pereira Sent: Monday, June 17, 2013 10:31 PMTo: UM ASNO Subject: Re: Um asno que só lê, "asnalisa"
Meu amigo! Por favor! Acorde! Sempre li os seus postes e sempre o respeitei, mas, com relação ao seu posicionamento diante do MPL, você está totalmente enganado. Não se trata de um movimento por causa de R$ 0,20, mas, de uma  reação depois de uma gota d'água transbordo o copo! O brasileiro simplesmente se cansou de ser desrespeitado por todos os lados e todas as forma. Trata-se de um movimento super razoável, pena que tardio.
Temos os impostos mais caros do mundo, os preços mais altos o mundo, um dos maiores índices de corrupção do mundo, os piores serviços de saúde do mundo, um dos piores sistemas de saúde do mundo, falta de infraestrutura portuária, ferroviária, viária, aeroportuária. além dos políticos mais caros e mais ineficazes do mundo! E você vem de braços dados a Jabor escrever idiotices!
Nós queremos mudar o país! Estamos cansados de tanto desmandos e de tanta mentira e enganação!
Por favor, faça como ele, calce a cara e peça desculpas. Nessa aí vc errou feio!
Sds., Márcio Elízio da Rocha Pereira.  
Resposta
Muito bom dia pra você Marcio! Bem meu amigo, primeiro, já deixei mais do que claro que não sou contra manifestação de espécie alguma e até apoio, sejam de quais naturezas forem. No sua própria mensagem, você concorda comigo em vários aspectos, mas a origem da motivação do MPL não tem absolutamente nada a ver com as coisas que você citou. Eu sou contra a ideia do passe livre e já expliquei em meus artigos as razões. Você mesmo verá que ao final, continuaremos a ter as tarifas, mesmo recuando, ainda altas. Eu avisei que o que eles haviam iniciado daria o start de muito mais e foi o que aconteceu. Pessoas saem as ruas por razões diferentes do que seria o passe livre agora. Mas o principal, talvez você tenha ignorado em minhas palavras. Não sou contra o direito do MPL se manifestar e muito menos contra as outras razões que aparecem agora nos protestos. Sou e sempre serei contra a atitude antidemocrática de agir de forma que os direitos de uns venham a se prevalecer sobre os de outros.

Durante as manifestações do movimento Diretas Já, muito mais gente foi às ruas e nunca criaram caos nas cidades. O que assistimos ontem em São Paulo foi algo mais maduro, mas ainda assim, embora bonito de se ver, impedia milhares de outros brasileiros de transitarem livremente. Ora, Marcio! Você vai concordar comigo que, mesmo que houvessem apenas algumas centenas de pessoas que não estivessem de acordo com a forma que a manifestação era conduzida, ainda assim, elas deveriam ser respeitadas. É isso que eu abomino na maneira que o movimento brotou. Sem orquestramento, sem ordem, sem objetivo definido, apenas com mobilização da massa. Você sabe que muitos que engrossam tais movimentos não seguem para reivindicar nada, apenas se aproveitam do descontrole para promover o caos.

Quase nunca concordo com Jabor, mas o que ele afirmou em seu comentário eu endossei. Porque o movimento não iniciou contra a PEC 37, por exemplo, ou contra a corrupção exagerada no país, ou ainda contra os gastos públicos, ou contra a precariedade da saúde e a educação? Basta você analisar a motivação inicial dos garotos que queriam pleitear apenas pelo passe livre. Isso estava escancarado em todos os sites e blogs do próprio movimento. O caráter mais difuso ocorreu quando outras pessoas decidiram que os protestos poderiam ser estendidos para mais além. Apoiarei as manifestações, mas não mudarei uma única vírgula do que escrevi contra a maneira que escolheram para protestar. Encham as praças, inundem os bosques e parques, ocupem os estádios, mas de maneira alguma prejudiquem os outros cidadãos e jamais destruam uma única placa que seja. Daí, serei o primeiro a exaltar, com orgulho restaurado, a alegria de ver minha nação realmente acordando de seu sono hipnótico.

Muito obrigado por sua mensagem. Pode não parecer, mas isso sim, é a maneira correta de agir dentro de uma democracia. Abraços e que este seja um verdadeiro alvorecer em nossa pátria.

Encerro
Eu estou acordado já há algum tempo! Ao menos desde 1993 quando sugeri ao movimento anarquista que fizéssemos uma manifestação contra um aumento exagerado que os parlamentares haviam dado a si mesmos, enquanto o salário mínimo era o que todo mundo lembra. O argumento para rejeitar a minha proposta foi: "Você é ingênuo! As coisas não são assim!". Saí do movimento porque começaram a me chamar de traidor porque havia deixado de ouvir Ratos do Porão e passara a ouvir Pink Floyd. Quatro meses depois o movimento se reuniu em uma manifestação que não concentrou mais do que trinta pessoas em favor da liberação das drogas e contra o preconceito sexual!

Bem sei que as pessoas não estão indo às ruas por causa de R$ 0,20. Seriam loucas! Gastam pelo cem vezes esse valor apenas em cervejas, ao menos uma vez por semana. Mas não concordo e não concordarei com o desrespeito ao direito inalienável que as outras pessoas têm de ir e vir livremente. Uma sociedade que não aprendeu a respeitar uma simples faixa de segurança nas ruas e nem sequer sinaliza um simples ato de virar uma esquina através da seta de um automóvel, não está preparada para fazer manifestações democráticas de fato!

À propósito! A frase no cartaz da imagem acima: "Eu vejo na TV o que eles falam sobre os jovens não é sério...", do falecido músico Chorão da banda Charlie Brown Jr. eu corrijo: NÃO É SÉRIO O QUE OS JOVENS FAZEM NAS RUAS!

7 comentários:

  1. Só para refletir sobre suas ideias pré concebidas ou não.
    Passe Livre, reduz o trânsito, mais gente no onibus que nos carros de passeio.
    Passe Livre, reduz a criminalidade dentro do onibus, sem cobrança, sem cobrador, sem caixa na catraca, usuário não precisa carregar dinheiro no seu ir e vir.
    Passe Livre diminui a corrupção política financiadora de eleições. Uma vez que as concessionárias pagam propinas vultosas a políticos para manterem suas concessões.
    Passe Livre reduz o poder do capitalismo e a opressão desse mesmo capital.
    Passe Livre permite um acesso a saúde, educação, lazer e esporte a quem não tem dinheiro para essas atividades, tanto semanais quanto de fim de semana.
    Bom, essas são algumas das questões que me fizeram rever meu posicionamento, antes contrário ao passe livre.

    O que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Bruno, por sua contribuição. São vários os argumentos favoráveis ao Passe Livre. Infelizmente, eu só possuo um argumento contrário, mas ele é suficiente para que eu me posicione contrário a ele. É esse: alguém pagará a conta! Só para a cidade de São Paulo seriam necessários mais de R$ 6 bilhões de reais por ano! Ou seja, mais impostos! Quem mais paga imposto no país mesmo?? Ah, sim! Quem precisa de transporte público!

      Excluir
  2. Ou seja, qualquer pessoa, livre ou não de deficiência ou mobilidade reduzida, deve ter o direito de poder chegar facilmente a qualquer lugar. Isso também se aplica aos milhares de cidadãos que tiveram seu direito surrupiado para que alguns jovens manifestassem sua forma de pensar. O direito de um, de maneira nenhuma, pode suprimir o de outro. Por isso deixei de ser punk! Aprendi a respeitar o direito de as pessoas pensarem e querer diferentes de mim. Não pode se caracterizar uma mobilização como popular se esta mesma mobilização interfere na livre passagem da população. Digo "livre passagem" porque a isto também se aplica uma passagem sem distúrbios.

    Voce disse livre passagem. Comece a pensar invertido; PASSAGEM LIVRE.

    Eu refiz meu pensamento, tente!

    ResponderExcluir
  3. Somos responsaveis pelo que cultivamos, entao o movimento é responsavel, inclusive, por colocar os vandalos nas ruas, por estragarem o teatro municipal, por queimarem carros! Organizem-se para limpar e recontruir os estragos causados pelo movimento! Organizem-se para educar os que te seguem!

    ResponderExcluir
  4. O que me indigna é que o mesmo movimento MPL que faz manifestação para a "tarifa zero" no transporte é o mesmo que no passado participou de manifestações contra a demissão dos cobradores e apoiou que fosse mantido 2 trabalhadores no transporte público. Cadê a coerência das idéias e propostas deste movimento. Como é possível manter os cobradores sem a catraca?
    Pena os jovens serem tão facilmente manipuláveis e saem a rua apoiando e contribuindo com um movimento sem antes conhecer suas ações passadas, seus ideais, seus reais interesses e seus líderes, para que quando esses rostinhos responsáveis pelo movimento aparecerem no horário eleitoral sejam eleitos e que se repita novamente o equívoco que agora tentam remediar de forma desastrosa!

    ResponderExcluir
  5. Prezados Senhores do MPL,
    Gostaria de expressar o meu apoio aos protestos e pela iniciativa em liderar as manifestações em todo Brasil, no entanto, permitam-me fazer as seguintes observaçôes:
    1) Após chamar a atenção das autoridades para causas, como transporte, saúde, educação, ética na política, gastos públicos e etc, se torna necessário o quanto antes, estabelecer um novo foco para o movimento, ou seja, cabe às lideranças iniciarem um diálogo concreto com as autoridades colocando toda a pauta de reivindicações, com prazos, termos de conduta, acordos etc, mas de forma "negociada", ou seja vamos chamar o governo Federal, Estadual e Municipal e dizer-lhes "senhores temos tais, tais reivindicações e vamos dar um prazo de tantos dias para que nos seja respondido de forma concreta, caso contrário, voltaremos com as manifestações de rua imediatamente"
    Pois agindo assim continuaremos a exercer a pressão sobre as autoridades e ao mesmo tempo manteremos o apoio popular, pois devido à conduta de poucos "baderneiros que depedram e saqueam" podemos correr o risco de perder o apoio da população.

    Vamos agir com inteligência e pensar em soluções concretas para o futuro do Brasil, pois não queremos que nosso pais seja uma nova Síria, Coréia do Norte, Venezuela, Etc.
    Agradeço pelo oportunidade e coloco-me a disposição.

    Marcos Alves
    alvesmhs@gmail.com

    ResponderExcluir
  6. Estes militantes não sabem que o direito de ir e vir não é ter transporte público de graça.
    Os babacas não tem a menor noção do que é a PEC 37,pois se soubessem veriam que os direitos são príoridades em qualquer lugar deste mundo!-Tirar o direito do MPU de fazer investigaçãoes é dar imunidade a estes políticos corruptos que tem as polícias em suas mãos.Está se vendo que já começamos mal com manifestações sem causas de real valor!

    http://www.ceb-ano13.com/

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.