Observatório Social de Birigui

Últimos Artigos
recent

A declaração mais esperada da semana foi calada antes da conclusão

Imagem Protegida por Direito Autoral - Um Asno
Imagem Original removida por solicitação do proprietário
O Secretário da Saúde, Roque Haroldo Bonfim, que se inscreveu na Tribuna Livre para prestar esclarecimentos sobre as denúncias do vereador Cristiano Salmeirao foi impedido de concluir sua declaração por um entendimento regimental do presidente da sessão, o vereador Dr. Elias Antônio Neto. Na verdade, o texto do regimento possui uma redação não muito clara. Segundo a Resolução 322 de 23 de março de 2011 que "Acrescenta Parágrafo ao Artigo 3° da Resolução 247, de 16 de março de 2004 que Institui a Tribuna Livre na Câmara Municipal". Diz o texto:
"Parágrago Único: Em caso de haver apenas um orador inscrito para fazer o uso da Tribuna Livre, lhe será facultado o tempo integral previsto no caput do Artigo 3°."
Curiosamente a resolução é assinada pelo presidente da Câmara, Dr. Elias Antônio Neto. Como não sou especialista na redação legislativa, fico em dúvida se o referido parágrafo determina, ou não, se for o primeiro inscrito perderá este direito, mesmo que o segundo não esteja presente. Em outro momento o presidente afirma que o secretário poderá recorrer a outra tribuna para se manifestar, porém, encontrei outro texto com a assinatura do presidente anterior, vereador Wladimir Antônio Zavanela, que a presença do mesmo orador só pode ocorrer após 3 sessões.

Bom, minha postagem hoje vai para parabenizar as atitudes dos vereadores João Flávio Marin Salmeirão e Paulo Roberto Bearare, o primeiro porque relatou a indignação dos moradores das cercanias do evento que trouxe para Birigui o Mr. Catra. A mesma fala, tamém ecoou nossas vozes com relação a falta de respeito para com os munícipes por conta de certos profissionais que abusam de nossos ouvidos com seus carros de som. Mas, o Bearare foi quem ficou com as melhores palavras ao, corajosamente, lembrar ao vereador Cristiano Salmeirão de como algumas atitudes podem causar mais danos do que benefícios a população.

Bearare se referia a maneira como o vereador Cristiano trazia a luz as informações sobre suas denúncias. O fato é que a câmara começa a dar sinais de que há posicionamentos eleitorais. Isso se evidenciou na fala do presidente, Dr. Elias ao final da sessão (já discursando como verdadeiro vice ou candidato a prefeito), quando se referiu a "certos" vereadores como se estivessem comprometidos com a administração atual e, por esse motivo, se manifestavam "com unhas e dentes" para defende-la. Curioso é que nesta mesma sessão, Cristiano Salmeirão e Aladim José Martins apresentaram moções de congratulação ao deputado Roque Barbiere por não possuir processos e nome listado no Ministério Público. Faz sentido!

6 comentários:

  1. Pelo que eu entendi a pessoa que faria uso da palavra não avisou formalmente da sua ausência.. Sendo assim o secretário não poderia ter mais tempo.

    ResponderExcluir
  2. A escrita é fidedigna e insofismável, não obstante, deve-se observar que faculta-se os outros 5 minutos consoante à emenda apresentada pelo Edil Paulo Bearari; o que ocorreu foi a ausência de uma pessoa sem comunicado formal o que via de regra caracteriza a pretenção de uso por duas pessoas devidamente inscritas, assim, procede a intervenção do Presidente da Casa.

    ResponderExcluir
  3. ELE DEVERIA TER SE PREPARADO, POIS SABIA QUE SÓ TERIA 5 MINUTOS...

    ResponderExcluir
  4. Correto, contudo, as respostas que ele trazia não eram só de interesse da população. Logo depois que o secretário deixou a tribuna foram entregues mais três requerimentos dos vereadores solicitando as mesmas respostas e o Salmeirão ainda disse que o secretário não teria respondido as perguntas. Como poderia e como pretendem realmente alguns vereadores que sejam dadas estas respostas? Fica confuso para a população: se os documentos foram entregues pela empresa a prefeitura conforme estava demonstrando o secretário, poderia haver fraude por parte da empresa, o que não incriminaria o secretário e sim a empresa; se o processo licitatório foi fraudado com conhecimento da prefeitura, aí a conversa muda. Com a atitude de Salmeirão e por fim, a do Dr. Elias, dá um entendimento de que não são as respostas que querem e sim cabeças. Nunca fui defensor do senhor secretário, mas é hora errada pra fazer política, o que deveríamos querer é a apuração real e pública e não alarmismo como o vereador Salmeirão gosta de fazer, como o fez com a notícia de Intervenção do Município. Joga-se uma bomba e deixa repercutir! Que a própria Câmara abra uma CEI e convoque o secretário então. O que parece é que alguns da câmara pretende postergar ainda mais o escândalo para que se forme um desgaste durante a campanha eleitoral que está prestes a começar.

    ResponderExcluir
  5. samuel camargo de anchieta27 maio, 2012 23:03

    Este sim é um comentário extremamente pertinente e com potencial pedagogico-politico de qualidade.A analise real pode mostrar que houve problemas com a empresa e não com a prefeitura( isto não muda em nada o merito da responsabilidade pelo contrato por parte da prefeitura) e ai não tem desgaste para a situação . ( o eleitor quer saber se o prefeito ou o secretário tal, saiu com uns trocos no bolso, não se a empresa tinha ou não situação regular em sei lá o que...)

    ResponderExcluir
  6. De fato o salmeirão estava com a razão.

    ResponderExcluir

1 - Qualquer pessoa pode comentar no Blog “Um Asno”, desde que identifique-se com nome e e-mail.
a) Em hipótese alguma serão aceitos comentários anônimos.
b) Não me oponho quanto à reprodução do conteúdo, mas, por uma questão de responsabilidade quanto ao que escrevo, faço questão que a fonte seja citada.

2— Não serão aceitos no Blog “Um Asno” os comentários que:
1. Configurem qualquer tipo de crime de acordo com as leis do país;
2. Forem escritos em caixa alta (letras maiúsculas);
3. Estejam repetidos na mesma ou em notas diferentes;
4. Contenham insultos, agressões, ofensas e baixarias;
5. Reproduzam na íntegra notícias divulgadas em outros meios de comunicação;
6. Reúnam informações (e-mail, endereço, telefone e outras) de natureza nitidamente pessoais do próprio ou de terceiros;
7. Contenham links de qualquer espécie fora do contexto do artigo comentado;
8. Contenham qualquer tipo de material publicitário ou de merchandising, pessoal ou em benefício de terceiros.

Tecnologia do Blogger.